PUBLICIDADE
Topo

A discussão sobre comida que gerou o "cancelamento" da chef Paola Carosella

Chef Paola Carosella foi acusada de "gordofobia" por alguns internautas no Twitter após debate sobre alimento industrializado - Divulgação
Chef Paola Carosella foi acusada de "gordofobia" por alguns internautas no Twitter após debate sobre alimento industrializado Imagem: Divulgação

De Nossa

24/07/2020 17h29

Depois de dias protagonizando uma discussão sobre a indústria alimentícia, Paola Carosella desabafou hoje no Twitter: "Aparentemente, eu fui 'cancelada'", escreveu ela em sua página oficial.

O "cancelamento", dito impossível pelos fãs da chef, começou há alguns dias na rede social em questão. Tudo começou quando Paola postou uma crítica à rede KFC, que anunciou o lançamento de um nugget impresso em 3D.

"Olha que linda sua comida do futuro. Parabéns aos envolvidos! Continuemos assim, que o futuro vai ter gosto de papelão molhado em cloroquina radioativa", escreveu ela.

A publicação feita pela chef causou alvoroço no Twitter. Muitos criticaram a postura da chef, salientando que o alimento em questão não envolvia sacrifício animal e ao meio ambiente — argumento rebatido pela jurada do MasterChef.

"Me responde por favor: é feito de alimento ou de commodities? É feito por pessoas e suas famílias ou máquinas? Se é feito de commodities como você acha que foi produzido? Com agroecologia ou monocultura fertilizada? Esse tipo de agricultura planta água? Você sabia que a água se planta?", escreveu.

A discussão acabou encaminhando-se para um tópico ainda maior: o impacto da agricultura de monoculturas.

"E se no lugar de plantar soja e milho para fazer carne de mentira plantássemos plantas?", questionou Paola. "Existem mais de 30 mil variedades de vegetais comestíveis catalogados. [Por que não fazer isso] de forma agroecológica e respeitando nossa cultura alimentar e a terra?", disse ela para um internauta que enalteceu os benefícios "de uma maneira eficiente de transformar grãos em carne".

Paola continuou a conversa com seus seguidores defendendo a "comida de verdade, feita por pessoas", as quais, segundo ela, são "saudáveis e não nos deixam obesos e hipertensos".

Segundo a chef, a solução proposta por muitos não resolve a raiz do problema. Sendo a única solução positiva, mudar a forma em que plantamos e produzimos comida.

"Compre de pequenos produtores. É meio clichê, mas é um básico. Procure por feiras de produtores no seu bairro, tem vários sites que mapeiam eles, mas o mais importante, a verdadeira transformação está nas urnas. Empresas nasceram para lucrar, governos devem regular", aconselhou ela a uma seguidora.

O dito "cancelamento", citado por Paola e no começo dessa matéria, surgiu após algumas pessoas denunciarem "gordofobia" nas falas da chef, o que foi contestado por ela.

"Eu falei obesos, não gordos. Você acompanha os índices de obesidade das crianças no Brasil? A ONU a define como a "nova fome" crianças obesas, diabéticas e subnutridas. Intoxicadas com comida de merda! Não estou falando de padrões de beleza aqui", reforçou ela, recebendo apoio no Twitter.

"Eu estava falando do impacto na saúde causado pelo consumo de alimentos ultra processados Eu deveria, então, ter me referido aos impactos na saúde causados pelo consumo de ultra processados, sendo muitos deles o ganho excessivo de peso, subnutrição, diabetes, hipertensão depressão", complementou.

Paola, por fim, abandonou o debate no Twitter e alegou ter sido mal interpretada, reforçando, mais uma vez, seu ponto de vista.