PUBLICIDADE
Topo

Copos e taças fazem diferença na hora de servir coquetéis

Quer fazer bonito no home-bar? Conheça os copos e taças mais comuns para embelezar - e melhorar - seus coquetéis - Getty Images
Quer fazer bonito no home-bar? Conheça os copos e taças mais comuns para embelezar - e melhorar - seus coquetéis
Imagem: Getty Images

Pedro Marques

Colaboração para Nossa

10/07/2020 04h00

Nem só de boas bebidas, coqueteleiras e dosadores se faz um bar em casa de respeito. Por mais que você capriche, servir um drinque em um copo de requeijão pode mudar o sabor de um drinque - sem falar que tira todo o charme da brincadeira.

É por isso que os profissionais servem cada coquetel em um copo ou taça específico, escolhido para aumentar o prazer de um bom gole. Por sinal, vários modelos ganharam ao longo dos anos os nomes dos drinques em que são servidos e ficaram famosos, como o copo Collins e a taça Martini.

No caso das misturas em geral, eles têm duas funções: uma é visual, a outra, técnica.

A apresentação é a primeira coisa que o cliente repara quando pede uma bebida.

Tom Collins servido em seu clássico copo - Getty Images - Getty Images
Tom Collins servido em seu clássico copo
Imagem: Getty Images

Ali já começa a experiência", explica Ana Paula Ulrich, chefe de bar do Burle, localizado no luxuoso hotel Palácio Tangará, na zona sul de São Paulo.

Muito além dos olhos

O formato, por sua vez, influencia a temperatura e, de tabela, o sabor. Um coquetel mais alcoólico, por exemplo, é servido em um modelo baixo com menos gelo, que derrete ao poucos e dilui a bebida, equilibrando a potência.

"Já um drinque mais refrescante vai em um copo alto com bastante gelo picado. Quanto mais frio, mais tempo demora para as pedrinhas derreterem", afirma Ulrich.

Os básicos do bar

A boa notícia é que você não vai precisar gastar um salário para equipar seu home bar. Segundo a barwoman, alguns modelos já dão conta do serviço de boa parte dos coquetéis. "Os mais usados são os copos Rocks e Collins e as taças Coupe e Flûte. Vale ter algumas unidades de cada", recomenda.

E tudo bem se não tiver como investir agora no "enxoval". "O mais importante é que os recipientes estejam gelados. Deixe-os no freezer por 20 minutos ou, na pressa, encha-os com gelo e escorra a água antes de servir a bebida", ensina Ulrich. Só não vale deixar de tomar um bom drinque. Conheça os principais modelos a seguir.

Collins

O copo Collins - Getty Images - Getty Images
O copo Collins
Imagem: Getty Images

Alto e reto, tem esse nome por causa do clássico Tom Collins (gim, suco de limão, açúcar e água com gás) e vai bem com coquetéis refrescantes e com bastante gelo. Quanto mais fino, melhor.

Coupe ou Martini

O Coupe ou Martini - Getty Images - Getty Images
O Coupe ou Martini
Imagem: Getty Images

Não se coloca gelo nessas taças, usadas para servir Daiquiris, Manhattans e Martinis (claro), entre outros. Deve ser segurada pela haste, para não aquecer o líquido. "Ela também vai destacar os aromas da bebida", diz Ulrich.

Flûte

A taça Flûte - Getty Images - Getty Images
A taça Flûte
Imagem: Getty Images

O princípio é simples: se champanhe é bebido nessa taça, ela também combina com drinques feitos com espumantes, que geralmente são leves e festivos, como Bellini e Mimosa. "O legal é que o aroma fica concentrado", afirma a barwoman.

Rocks

O copo Rocks - Getty Images - Getty Images
O copo Rocks
Imagem: Getty Images

Usado em bebidas preparadas diretamente no copo, ao estilo de um Old Fashioned e a brasileira Caipirinha, ou coquetéis em que o gelo deve derreter mais rápido, como um Negroni.