PUBLICIDADE
Topo

Pipoca com torresmo e pimenta: o chef Rodrigo Oliveira revela a receita

Duas paixões, pipoca e torresmo, ganham a companhia da jiquitaia e páprica - Leo Martins/Divulgação
Duas paixões, pipoca e torresmo, ganham a companhia da jiquitaia e páprica Imagem: Leo Martins/Divulgação

Luciana Mastrorosa

Colaboração para Nossa

01/07/2020 04h00

O chef Rodrigo Oliveira é paulistano, mas sua família inteira é nordestina, de Pernambuco. Por isso, ele se autodeclara um "paulistano de coração pernambucano", resgatando suas raízes e transformando-as em pratos com forte carga emocional em seus restaurantes Mocotó e Balaio IMS, na capital paulista.

Como não poderia deixar de ser, as festas de São João têm espaço cativo no coração do chef. Por isso, ele pegou um dos ícones dos festejos juninos, a pipoca, e a transformou num petisco irresistível. "Estou servindo essa pipoca com torresmo e jiquitaia no Balaio!, diz.

Nas festas do nordeste, a pipoca é sempre feita pensando nas crianças, embora os adultos sempre belisquem também. Mas a ideia aqui é que nossa pipoca funcionasse como um 'amuse bouche', um aperitivo, mas muito mais leve que um simples pão com manteiga. E é divertido de compartilhar"

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o chef decidiu operar apenas com delivery, mas essa pipoca com torresmo nunca saiu do cardápio. "Está no menu desde o primeiro dia e nunca saiu, é um sucesso", conta o chef.

pipoca com torresmo - Reprodução/Instagram @balaioims - Reprodução/Instagram @balaioims
Imagem: Reprodução/Instagram @balaioims
De fato, a descrição do prato já dá água na boca e mostra que um hit junino pode ser recriado e ficar ainda melhor que o original. "Imagine uma pipoca feita de milho orgânico. Quando ela sai, temperamos com uma mistura de sal, páprica defumada e jiquitaia, um toque de manteiga de garrafa, e como golpe de misericórdia, misturamos com nossos torresmos", afirma Rodrigo.

O chef considera que a pipoca com torresmo é um petisco mais fácil e agradável de comer do que só a pipoca ou só o torresmo, pois um complementa o sabor do outro.

E, ainda, tem a provocação da pimenta jiquitaia na boca, da páprica, a riqueza e a untuosidade da manteiga e o delírio que é o torresmo, é muito bom"

Para os que querem um petisco junino com assinatura de chef, Rodrigo propõe um desafio: "faça uma tigela grande de pipoca com torresmo e coloque na mesa, veja se não é a primeira coisa que acaba", brinca ele.