PUBLICIDADE
Topo

Home office no quarto: como conciliar o espaço de descanso com trabalho

Trabalhar e descansar no mesmo cômodo parece difícil, mas truques de arquitetura, decor e organização podem ajudar - Getty Images
Trabalhar e descansar no mesmo cômodo parece difícil, mas truques de arquitetura, decor e organização podem ajudar
Imagem: Getty Images

Claudia Dias

Colaboração para Nossa

30/06/2020 04h00

Quem acreditava que trabalhar em casa exigia apenas computador, mesa e cadeira já descobriu a duras penas que o home office não é só isso. Ter um espaço organizado, confortável e funcional é o mínimo necessário para a logística dar certo.

Na falta de um cômodo específico, alternativa recorrente é adaptar o próprio quarto, o que tem lá seus prós e contras. Se de um lado é preciso ter disciplina para não confundir trabalho com descanso (já que a cama está ali ao lado, tentadora), por outro, pode ser o canto mais silencioso do imóvel.

"Uma vantagem de ter um home office no quarto é deixar o espaço de trabalho reservado das áreas sociais da casa", aponta arquiteta Stephanie Toloi, sócia de Rochele Hazan no escritório Ser Arq+Design. Ou seja, enquanto o restante da família compartilha os demais cômodos, é possível trabalhar em uma área que permite maior concentração e foco.

Organização é chave

Para Stephanie, um ambiente físico aconchegante está diretamente ligado ao bem-estar e à produtividade, por isso a importância de alguns cuidados. Como cada atividade possui necessidades diferentes, às vezes, uma mesa pequena para o notebook não é o suficiente. "Algumas profissões pedem um espaço maior de bancada, para ler, escrever ou desenhar, como é o caso dos arquitetos", observa.

Além disso, a mesa precisa ser instalada perto de pontos de tomada, rede e telefone, evitando-se fios e extensões pipocando por todo o quarto. Outro detalhe essencial é deixar o cômodo bem organizado, sem distrações para quem precisa passar boa parte do dia ali.

"É muito difícil esquecer que se está trabalhando em um lugar projetado para descanso, portanto, manter as coisas nos seus devidos lugares, sem bagunça, ajuda o cérebro a se acostumar com a nova atividade no ambiente", lembra.

Estantes e gaveteiros se revelam bem úteis nessa questão. Móveis de chão com rodízios também ajudam na composição dos espaços e facilitam demais a limpeza.

Inspire-se

A seguir, reunimos 9 ambientes em que o trabalho compartilha o espaço de descanso de forma agradável e funcional.

1.

A sacada íntima da suíte foi transformada em home office pelas designers Ana Paula e Grace de Paula, do Angra Design (https://www.instagram.com/angra_design/). A proposta era ampliar o quarto, criando um espaço que aproveitasse e valorizasse a luz natural e a vista da janela. Se a luminosidade for intensa, basta fechar a cortina. A solução adotada também permite manter a estética do quarto, sem bagunças à vista. A bancada em marcenaria, bem clean, ajuda em tal propósito. - Henry Lopes - Henry Lopes
Imagem: Henry Lopes

A sacada íntima da suíte foi transformada em home office pelas designers Ana Paula e Grace de Paula, do Angra Design. A proposta era ampliar o quarto, criando um espaço que aproveitasse e valorizasse a luz natural e a vista da janela.

Se a luminosidade for intensa, basta fechar a cortina. A solução adotada também permite manter a estética do quarto, sem bagunças à vista. A bancada em marcenaria, bem clean, ajuda em tal propósito.

2.

Os moradores queriam um quarto colorido, alto astral e confortável para conciliar descanso e trabalho, o que levou a arquiteta Juliana Fabrizzi (https://www.instagram.com/julianafabrizzi_arquitetura/) a propor a combinação de uma cor alegre (verde, de média intensidade) com a delicadeza do tecido de parede cinza e branco, tornando o espaço bastante acolhedor. A boa iluminação era ponto crucial e, por isso, a mesa de trabalho foi posicionada perto da janela para entrada de luz natural.  - Ricardo Durand - Ricardo Durand
Imagem: Ricardo Durand

Os moradores queriam um quarto colorido, alto astral e confortável para conciliar descanso e trabalho, o que levou a arquiteta Juliana Fabrizzi a propor a combinação de uma cor alegre (verde, de média intensidade) com a delicadeza do tecido de parede cinza e branco, tornando o espaço bastante acolhedor.

A boa iluminação era ponto crucial e, por isso, a mesa de trabalho foi posicionada perto da janela para entrada de luz natural.

3.

Uma divisória de chapa de aço perfurada, toda vazada, separa a cama da mesa, nesta proposta da arquiteta Julia Guadix, da Liv'n Arquitetura (https://www.instagram.com/livn.arq/). Tal estrutura permite que a luz natural vinda da janela aos pés do leito chegue até a bancada, que acomoda o computador e alguns quadros. Além disso, a prática porta com trilhos divide o quarto e o home office do restante da casa. Quando há necessidade de isolar todo o espaço e manter a privacidade, basta fechá-la. - Guilherme Pucci - Guilherme Pucci
Imagem: Guilherme Pucci

Uma divisória de chapa de aço perfurada, toda vazada, separa a cama da mesa, nesta proposta da arquiteta Julia Guadix, da Liv'n Arquitetura. Tal estrutura permite que a luz natural vinda da janela aos pés do leito chegue até a bancada, que acomoda o computador e alguns quadros.

Além disso, a prática porta com trilhos divide o quarto e o home office do restante da casa. Quando há necessidade de isolar todo o espaço e manter a privacidade, basta fechá-la.

4.

O formato retangular alongado do quarto, que garante boa circulação ao redor da cama, permitiu a criação de um espaço agradável, sem pesar o clima de trabalho na área de descanso. O desafio da arquiteta Mariana Wilderom (https://www.instagram.com/mariana.wilderom/), em parceria com o escritório Sabará Arquitetura (https://www.instagram.com/sabaraarquitetura/), foi evitar o aspecto corporativo, o que levou a móveis que conversam entre si em todo o cômodo. A escolha da bancada não foi à toa: posicionada abaixo da ampla janela, absorve a excelente luminosidade.  - Alessandro Guimarães - Alessandro Guimarães
Imagem: Alessandro Guimarães

O formato retangular alongado do quarto, que garante boa circulação ao redor da cama, permitiu a criação de um espaço agradável, sem pesar o clima de trabalho na área de descanso.

O desafio da arquiteta Mariana Wilderom, em parceria com o escritório Sabará Arquitetura, foi evitar o aspecto corporativo, o que levou a móveis que conversam entre si em todo o cômodo. A escolha da bancada não foi à toa: posicionada abaixo da ampla janela, absorve a luminosidade.

5.

No espaço criado pela arquiteta Patricia Netto (https://www.instagram.com/patricianettoarquitetura/) no quarto de solteiro, os tons claros da parede foram pensados para ajudar na concentração. Por conta do espaço limitado, a mesa de trabalho foi projetada bem ao lado da cama. Como foi pensada para facilitar estudo e trabalho, bem como a organização de materiais e documentos, a marcenaria é toda adaptada para dar mais funcionalidade ao ambiente. A luz de LED dimerizada não apenas decora, como também ajuda nas atividades. O gaveteiro com rodízio facilita o deslocamento e a limpeza. - MCA Estúdio - MCA Estúdio
Imagem: MCA Estúdio

No espaço criado pela arquiteta Patricia Netto no quarto de solteiro, os tons claros da parede foram pensados para ajudar na concentração. Por conta do espaço limitado, a mesa de trabalho foi projetada bem ao lado da cama.

Como foi pensada para facilitar estudo e trabalho, bem como a organização de materiais e documentos, a marcenaria é toda adaptada para dar mais funcionalidade ao ambiente. A luz de LED dimerizada não apenas decora, como também ajuda nas atividades. O gaveteiro com rodízio facilita o deslocamento e a limpeza.

6.

O morador precisava de um espaço para trabalhar no quarto e, na falta de área suficiente, a solução adotada pela arquiteta Carina Dal Fabbro (https://www.instagram.com/carinadalfabbroarq/) foi acomodar um minioffice dentro do closet. Contemplado com boa iluminação, tanto natural quanto artificial, conta com o básico do home office, mas sem abrir mão das regras de ergonomia. Além disso, a porta da seção de armários permite isolar o canto, sempre que necessário. - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O morador precisava de um espaço para trabalhar no quarto e, na falta de área suficiente, a solução adotada pela arquiteta Carina Dal Fabbro foi acomodar um minioffice dentro do closet.

Contemplado com boa iluminação, tanto natural quanto artificial, conta com o básico do home office, mas sem abrir mão das regras de ergonomia. Além disso, a porta da seção de armários permite isolar o canto, sempre que necessário.

7.

No quarto do casal, o escritório é integrado ao quarto de forma criativa, ideia da arquiteta Consuelo Jorge (https://www.instagram.com/consuelojorge/). Apoiado na cabeceira da cama, de tecido, o office escuro segue a mesma linguagem de todo o amplo cômodo, onde a pintura especial de concreto no forro garante o ar despojado e contrasta com piso de madeira, que aquece e dá conforto. Atrás da mesa, há uma grande estante com objetos e peças de design garimpados pelos moradores. - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

No quarto do casal, o escritório é integrado ao quarto de forma criativa, ideia da arquiteta Consuelo Jorge.

Apoiado na cabeceira da cama, de tecido, o office escuro segue a mesma linguagem de todo o amplo cômodo, onde a pintura especial de concreto no forro garante o ar despojado e contrasta com piso de madeira, que aquece e dá conforto. Atrás da mesa, há uma grande estante com objetos e peças de design garimpados pelos moradores.

8.

No quarto de casal, uma parede de drywall separa a cama dos closets e banheiros. Além de acomodar a TV, a estrutura oca aloja e esconde toda a fiação necessária para os equipamentos usados na bancada do home office, instalada bem ao lado. O projeto, assinado pelas arquitetas Ieda e Carina Korman, da Korman Arquitetos (https://www.instagram.com/kormanarquitetos/), contempla móveis baixos, em ambos os lados da parede, onde são guardados pastas e documentos. O nicho para livros, logo atrás, fecha o mobiliário de trabalho, feito em marcenaria, com madeira freijó. - Gui Morelli - Gui Morelli
Imagem: Gui Morelli

No quarto de casal, uma parede de drywall separa a cama dos closets e banheiros. Além de acomodar a TV, a estrutura oca aloja e esconde toda a fiação necessária para os equipamentos usados na bancada do home office, instalada bem ao lado.

O projeto, assinado pelas arquitetas Ieda e Carina Korman, da Korman Arquitetos, contempla móveis baixos, em ambos os lados da parede, onde são guardados pastas e documentos. O nicho para livros, logo atrás, fecha o mobiliário de trabalho, feito em marcenaria, com madeira freijó.

9.

O office no quarto de casal projetado pela arquiteta Pati Cillo (https://www.instagram.com/paticillo_arquitetura/) nasceu a partir da estante, já que os moradores possuem muitos itens para serem acomodados. Livros são mantidos em nichos abertos, enquanto documentos, protegidos por portas. A mesa é uma extensão de uma das aberturas, chegando até a cabeceira da cama que, no dia a dia, fica com cara de sofá. - Luis Gomes - Luis Gomes
Imagem: Luis Gomes

O office no quarto de casal projetado pela arquiteta Pati Cillo nasceu a partir da estante, já que os moradores possuem muitos itens para serem acomodados. Livros são mantidos em nichos abertos, enquanto documentos, protegidos por portas. A mesa é uma extensão de uma das aberturas, chegando até a cabeceira da cama que, no dia a dia, fica com cara de sofá.