PUBLICIDADE
Topo

Temporada

Festejo

Uma celebração às tradições, raízes e brasilidades, com curadoria da cantora e atriz Lucy Alves

"Minhas melhores lembranças de infância são do São João", diz Lucas Veloso

Lucas Veloso será o apresentador das lives do São João de sua terra natal, Campina Grande - Reprodução
Lucas Veloso será o apresentador das lives do São João de sua terra natal, Campina Grande Imagem: Reprodução

Gabriela Zocchi

Colaboração para Nossa

22/06/2020 04h00

Lucas Veloso

Lucas Veloso

QUEM É

O ator e comediante, ele não consegue imaginar um ano sem São João. Em 2020, sem poder comemorar "no meio da aglomeração", como gosta, o filho de Shaolin será apresentador das lives beneficentes do São João de Campina Grande.

Lucas Veloso diz com orgulho que é da terra do maior São João do mundo. Nascido em Campina Grande, na Paraíba, o ator, comediante e músico afirma que, apesar de não ser católico, encara as festas juninas quase como um rito religioso. "A cultura de reunir os parentes, fazer as comidas típicas e ouvir um bom forró ou sertanejo é obrigatória para mim. Consigo passar um ano sem Natal, mas não sem o São João".

A fogueira que meu avô acendia era a coisa mais linda do mundo"

Para ele, a festa tem valor nostálgico. "As minhas melhores lembranças da infância são da época de São João. Todos os anos, meu avô fazia fogueiras para as festas dos santos. A de Santo Antônio, que era sempre a primeira, ganhava uma fogueira gigante, de 1,5 m de altura", relembra.

Fogueira de são joão - Sérgio Bernardo/JC Imagem                             - Sérgio Bernardo/JC Imagem
Crianças brincam em volta da fogueira na véspera da noite de São João
Imagem: Sérgio Bernardo/JC Imagem

"Alguns dias antes, era tradição eu e meus primos sairmos na rua para catar madeira seca para ele montar a fogueira. Era o ritual que eu mais esperava. A gente ajudava na montagem da festa, ia para casa, tomava banho e, quando voltava à noite a fogueira já estava acesa", conta. Na família de Lucas, essa tradição se perdeu depois que o avô morreu, há 14 anos, mas nunca mais saiu da memória dele.

Este ano, uma festa diferente

Neste ano, em meio à pandemia do coronavírus, o ator assumirá a apresentação das lives beneficentes do São João de Campina Grande, que acontecerão nos dias 23, 24 e 27 de junho e contarão com shows de artistas como Elba Ramalho, Cavalo de Pau e Cavaleiros do Forró, entre outros.

Este será um São João mais reflexivo do que festivo para mim, porque ando pensando muito na falta que faz celebrar momentos assim com a família"

De acordo com Lucas, "as lives foram uma forma que encontramos de não deixar a data passar em branco"

A alma do São João no interior

Lucas Veloso - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Fotografia de Lucas Veloso ainda criança
Imagem: Arquivo Pessoal

"Quando fecho os olhos e penso em São João, logo consigo sentir o friozinho gostoso dessa época que faz aqui em Campina Grande. Vejo a névoa descendo na cidade e escuto aquela chuva que vem de longe, que todo nordestino sertanejo conhece, batendo no teto de telha", declara.

Também sinto cheiro de pólvora dos fogos que foram soltos na rua nos dias de santos. Essas sensações são únicas e representam bem a alma do São João no interior"

A playlist de Lucas

"'Olha pro Céu' é a música que abre o São João todos os anos aqui em Campina Grande. O Parque do Povo fica lotado e, quando dá meia-noite em ponto, os fogos de artifício estouram e começa a tocar esse sucesso de Luiz Gonzaga. É um momento bem emocionante para mim", afirma.

"Aqui na Paraíba, o forró é a música típica de São João, mas para mim ele se mistura com o sertanejo raiz, já que em casa sempre fomos apaixonados por esse ritmo também".

Aniversários temáticos

Lucas Veloso - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Lucas Veloso na infância ao lado do pai, Shaolin
Imagem: Arquivo Pessoal

O ator relembra o passado ligado às festas de São João, com muita comida e canções que faziam parte do repertório junino.

"Meu aniversário é no final de julho, então minhas festas de aniversário sempre foram temáticas. Em casa, elas eram regadas a churrasco, cerveja e músicas de Leandro e Leonardo. Meu pai fazia a festa que ele queria para ele, mas eu adorava", relembra Lucas aos risos.

"São João sem pamonha e beiju não é São João"

beiju - iStockphotos - iStockphotos
O beiju, preparado com a tapioca
Imagem: iStockphotos
"Eu me lembro da primeira vez em que comi beiju na vida. Tinha uns 4 anos e meu pai me levou para uma casa de farinha. Vi o cara fazendo a massa de tapioca, espalhando o coco por cima? Nossa senhora! Pode ser coisa da minha cabeça, mas nunca mais encontrei um beiju tão bom como aquele. Lembro do cheirinho dele ficando pronto até hoje".