PUBLICIDADE
Topo

Viagem de fã de rock para revelar 1000 bandas é interrompida pela pandemia

Kaká Schwartzman em seu "Polo Home", carro com o qual pretende viajar o Brasil e revelar 1000 novas bandas - Arquivo pessoal
Kaká Schwartzman em seu "Polo Home", carro com o qual pretende viajar o Brasil e revelar 1000 novas bandas Imagem: Arquivo pessoal

Luciano Nagel

Colaboração para Nossa

18/06/2020 04h00

Kaká Schwartzman, 43 anos, estava rodando de carro sozinha por várias cidades do Brasil em busca de novos talentos do rock. Em março, porém, a apresentadora do site Crash TV interrompeu sua viagem quando estava no interior do Rio Grande do Sul, graças ao coronavírus.

A paulista, que já foi aeromoça, piloto de monomotor e lutadora de artes marciais, idealizou o projeto ''Tour Rock Brasil" há três anos e hoje está em quarentena em Porto Alegre. Pouco antes da pandemia se intensificar, ela tinha planos de ir a Fortaleza, Maceió e Recife para dar continuidade à sua meta de entrevistar 1.000 bandas amadoras e entrar para o Guiness Book.

Até janeiro deste ano, 575 bandas tinham sido contatas e 10 mil quilômetros rodados em seu Volkswagen Polo (ano 2005) em cidades dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

As entrevistas, muitas vezes, acontecem no carro mesmo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
As entrevistas, muitas vezes, acontecem no carro mesmo
Imagem: Arquivo pessoal
''Estou morrendo de saudades de voltar para estrada, porque quem vive na estrada não consegue ficar parado em um só lugar. Faz 90 dias que estou parada, somente em casa", lamentou.

Kaká Schwartzman afirmou que está aproveitando esse período para usar as redes sociais e fazer suas lives todos os sábados com artistas e personalidades, que vão ajudar a angariar fundos para os artistas mais necessitados.

Viagem sem destino -- e entrevista em motel

Dirigindo sempre sozinha, na cara e na coragem, tem como companheiros seus equipamentos de áudio, foto e vídeo, além de vários CDs com suas músicas preferidas. Em garagens, casas de shows, bares e pubs é que a jornalista encontra seus personagens. ''Eu pego o meu carro e vou indo, meio sem destino, sem roteiro. Existe uma cidade no Paraná chamada Imbituva, onde acabei encontrando 15 bandas', disse entusiasmada.

Em Curitiba, Kaká entrevistou mais de 70 bandas amadoras. "Lá tem muito músico e produtor talentoso, você sacode uma árvore e cai 500 grupos musicais de vários estilos", conta.

Outra cidade que merece destaque, segundo Kaká, é Lapa, a 62 quilômetros da capital paranaense, que conta com um museu dedicado exclusivamente ao rock. O acervo conta com mais de 10 mil itens entre discos de vinil, ingressos, CDs, DVDs, livros e tudo relacionado ao universo do gênero.

Na capital gaúcha, Porto Alegre, foram mais de 80 bandas, entre eles músicos conhecidos nacionalmente como Tequila Baby, Comunidade Nin-jitsu, Bidê ou Balde e Papas da Língua. ''A história do rock no estado gaúcho é realmente muito forte", opina.

Uma das entrevistas rolou numa cama de motel, em Criciúma - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Uma das entrevistas rolou numa cama de motel, em Criciúma
Imagem: Arquivo pessoal
Em sua "turnê", já na cidade de Criciúma (Santa Catarina), a jornalista chegou a entrevistar na cama de um motel. "Foi muito engraçado porque no final da matéria, o vocalista que encheu a banheira me jogou pra dentro da água (risos). Ainda por cima, o cara mandou uma foto via Whatsapp direto para a mulher dele". No final da história tudo acabou bem.

Perrengues e dicas

Para a viagem, Kaká conta com ajuda das bandas que entrevista. Em junho de 2017, cobrava uma taxa miúda no valor de R$ 20 por banda, depois passou para R$ 50, R$ 120, R$ 200, R$ 300 e, até a interrupção em março, pedia um auxílio de R$ 400 a músicos e produtores.

Se não tem onde ficar, Kaká dorme no carro mesmo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Se não tem onde ficar, Kaká dorme no carro mesmo
Imagem: Arquivo pessoal
Como em qualquer jornada, Kaká também relata perrengues nesses três anos de estrada. ''Já tive que dormir muitas vezes dentro do carro por não ter onde ficar. Meu automóvel tem dois apelidos, 'Polo Home', porque é minha casa na hora do imprevisto e 'Polo Conserto', pois cada cidade que visito é um conserto em uma peça, no pneu, no motor, etc'', disse. A jornalista não esquece de uma recomendação hilária que recebeu de um caminhoneiro: ''Se o seu limpador de parabrisa trava por algum motivo, para de funcionar, você deve urinar em cima dele e o limpador volta a funcionar".

Uma das estratégias usadas pela apresentadora quando chega em um cidade que não conhece é ir direto para um posto de gasolina e perguntar onde tem um bar ou pub. Todo o frentista de posto de combustível conhece algum lugar. Chegando lá, a apresentadora tira do bolso sua gaita de boca e começa a tocar. ''Acabo conhecendo muita gente que gosta de música e a partir daí vou pegando informações de onde estão essas bandas amadoras, por onde andam e consigo descobrir ótimos talentos", explicou.

Conheça as top 10 de Kaká Schwartzmann:

  1. The House of The Rising Sun - The White Buffalo
  2. Johnny Cash - Hurt
  3. Bob Dylan, Johnny Cash - Wanted Man
  4. Metallica - Nothing Else Matters
  5. Motorhead - Ace of Spades
  6. Ramones - Poison Heart
  7. Humberto Gessinger - Infinita Highway
  8. Plebe Rude - Até quando esperar
  9. Camisa de Vênus - Eu não matei Joana D'arc 2004
  10. Raimundos - Puteiro em João Pessoa