PUBLICIDADE
Topo

Brasileiro cria comunidade para quarentena de luxo em ilha da Tailândia

Danniel Oliveira se "quarentenou" com uma turma em uma luxuosa ilha da Tailândia - Reprodução/Instagram
Danniel Oliveira se "quarentenou" com uma turma em uma luxuosa ilha da Tailândia Imagem: Reprodução/Instagram

Larissa Coldibeli

Colaboração para Nossa

16/06/2020 04h00

O brasiliense Danniel Oliveira, 34, estava na Índia a trabalho quando estourou a pandemia de coronavírus. Viajante profissional, ele roda o mundo - já visitou 69 países -, elabora roteiros diferentes e acompanha grupos de turismo. Em busca de um lugar seguro para passar a quarentena, ele se refugiou em uma ilha paradisíaca na Tailândia, Koh Samui, junto com outros 15 viajantes.

Eles se hospedaram em duas casas de luxo e organizaram uma rotina de atividades em grupo para passar o tempo. Na ilha desde 25 de março, Danniel diz que nem cogitou voltar para o Brasil, pois tinha uma série de viagens programadas ao longo do ano. Da Índia, ele seguiria para o Nepal e, depois, para o Marrocos, mas, os grupos que ele acompanharia foram cancelados.

Ainda na Índia, ele conheceu outras brasileiras e, quando as fronteiras começaram a fechar, o grupo conversou com outros viajantes que conheceram na estrada e surgiu a ideia de alugar uma casa para passarem a quarentena juntos.

"Escolhemos a Tailândia porque é um hub, tem voos para vários lugares, é barato, as pessoas são simpáticas e, nas ilhas, estava relativamente tranquilo em relação ao coronavírus", ele diz.

Mansões por 15% do valor

O grupo foi formado por 12 brasileiros, dois ingleses, um chileno e uma portuguesa. Para acomodar tanta gente, eles alugaram duas casas de luxo com vista para o mar, com nove quartos no total e três piscinas.

12 brasileiros, dois ingleses, um chileno e uma portuguesa: os "quarenteners" que Danniel reuniu - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
12 brasileiros, dois ingleses, um chileno e uma portuguesa: os "quarenteners" que Danniel reuniu
Imagem: Arquivo pessoal

Apesar do cenário paradisíaco, o brasileiro conta que os primeiros dias foram de medo e apreensão. "Ainda estava entendendo a situação e as regras de um novo país, a convivência com outras pessoas, preocupado com a minha situação e com a minha família no Brasil. Aos poucos, fui ficando mais tranquilo e vendo que eu estava no melhor lugar onde poderia estar", declara.

Uma das casas de luxo que recebeu o grupo reunido por Danniel na Tailândia - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Uma das casas de luxo que recebeu o grupo reunido por Danniel na Tailândia
Imagem: Arquivo pessoal
É a primeira vez de Danniel na Tailândia. Como a ilha estava sem turistas, o grupo conseguiu alugar as casas por apenas 15% do valor normal, segundo o brasileiro.

Ao longo de 10 semanas de confinamento, eles elaboraram uma agenda de atividades para ajudar a passar o tempo em comunidade, com aulas de ioga, de negócios, de idiomas e até de história do Brasil.

Os momentos de lazer incluíam churrascos e festas, mas nem tanto álcool. "Ficamos quase um mês sem beber porque a venda de bebida alcoólica foi proibida no país durante a quarentena", ele conta.

Danniel (de camiseta preta, no centro) com parte do grupo em uma piscina em Koh Samui, na Tailândia - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Danniel (de camiseta preta, no centro) com parte do grupo em uma piscina em Koh Samui, na Tailândia
Imagem: Arquivo pessoal

Tailândia sem turistas

Mesmo com as restrições de locomoção, Danniel tenta conhecer o máximo que pode da ilha. "Pelo que converso com amigos que já estiveram aqui, posso dizer que estou tendo uma experiência totalmente diferente com os lugares vazios", comemora.

Koh Samui é a segunda maior ilha da Tailândia e um destino popular entre os viajantes. A ilha passou por lockdown e agora já está reaberta. Por isso, o grupo já começou a se desfazer.

Praia do parque nacional de AngThong, na ilha de Koh Samui, na Tailândia - Getty Images  - Getty Images
Praia do parque nacional de AngThong, na ilha de Koh Samui, na Tailândia
Imagem: Getty Images

Sobraram seis pessoas em uma das casas, que está alugada até 15 de junho. Danniel vai seguir para outra ilha ali perto, Koh Tao, e, depois, para Bangcoc. "Mais do que isso não dá para planejar", declara.

O governo local autorizou a estadia de estrangeiros sem necessidade de renovação de visto até o dia 31 de julho. Ainda sem saber qual será sua próxima parada, Danniel anseia pelo momento de voltar a explorar o mundo.

"Eu sou um viajante, então, para mim é difícil estar parado. Torço para que isso passe logo para as pessoas terem liberdade de viajar e conhecer novos lugares", diz. Ele compartilha suas aventuras no Instragram @DannielOliveira.