PUBLICIDADE
Topo

Aprendi como provar e usar um bom azeite em tour virtual direto da Croácia

Experiência virtual propõe degustação à distância -- e vale a pena - Getty Images
Experiência virtual propõe degustação à distância -- e vale a pena
Imagem: Getty Images

Gustavo Frank

De Nossa

09/05/2020 04h00

Honestamente, eu nunca fui o mais hábil da cozinha no meu grupo de amigos. Sou a pessoa que contribui nos almoços amassando a batata para o purê ou fazendo brigadeiro para a sobremesa, mas tudo isso está prestes a mudar depois de uma viagem virtual que fiz até Klis, na Croácia.

Participei da experiência "Do campo à mesa no Mediterrâneo". Assim que fui ler sobre o que se tratava especificamente, a primeira frase que encontrei foi "descubra a magia de um dos ingredientes mais comuns em nossas cozinhas: o azeite".

Ótimo, o maior uso de azeite que eu fazia na minha vida, pelo menos até agora, era derramar em cima da salada e da pizza — o que recomendo a todos, por sinal. Mas graças a Marin, nascia ali um novo (quase) expert nesse ingrediente.

Marin - Reprodução/Airbnb - Reprodução/Airbnb
Marin, guia da tour virtual na fazenda na Croácia com cultivo de oliveiras
Imagem: Reprodução/Airbnb

Marin? O que dizer sobre Marin? Logo nos primeiros minutos da tour, que duraria inicialmente uma hora e meia, nosso guia se apresentou brevemente e chocou, além de mim, os outros cinco "viajantes" online ao contar sobre seu PhD em Economia.

Ele deixou o mundo das exatas para trás e abriu a fazenda que pertence a sua família há 475 anos, nas montanhas da Croácia, para compartilhar o seu estilo de vida e o cultivo de azeite, vinho e aguardente.

Enquanto Marin contava tudo isso, ele mostrava também a paisagem — que por sinal serviu de cenário para as gravações da terceira temporada de "Game of Thrones". Ele se desculpou caso a informação não seja tão exata, afinal não teve paciência para assistir (somos dois). Seguimos viagem, afinal, o quão bonito era tudo aquilo não dependia dos dragões.

Fomos então ao que importa: os azeites. Confesso que eu teria esquecido se não tivesse saído para comprar um vidro, há trinta minutos, depois de perceber que não tinha um para fazer a experiência proposta pelo croata.

E vamos à prática

Mesa airbnb - Reprodução/Airbnb - Reprodução/Airbnb
Mesa com alimentos e azeite da fazenda
Imagem: Reprodução/Airbnb

Azeite - Reprodução/Airbnb - Reprodução/Airbnb
Pedaço de pão molhado no azeite de oliva
Imagem: Reprodução/Airbnb

Foi quando as portas do conhecimento se abriram. Marin pediu para que eu e meus colegas virtuais de viagem colocássemos o azeite em um copo de vidro e então aproximássemos da câmera do notebook para ele poder dar uma olhadinha.

"Confesso que estou feliz com o que estou vendo", disse ele. Eu não sabia do se tratava, mas já estava indo bem em algo envolvendo gastronomia. Sucesso.

Todos nós mostramos azeites amarelos opacos ou, no máximo, um pouco esverdeados. O que, segundo o guia, era excelente: "Se o azeite for amarelo radiante ou marrom, talvez não seja o melhor produto", contou. É, neon... ou você é fashion ou é saudável.

Primeiro aprendizado, check.

O segundo teste, o qual ele não nos recomendou a fazer, mas explicou é: coloque o azeite em um prato e vire-o em cima da sua cabeça. Se, ao invés de escorrer, ele cair na sua cabeça. Ele está eliminado.

Hora de usar os sentidos

Área de cultivo - Reprodução - Reprodução
Área de cultivo da fazenda de Marin e sua família
Imagem: Reprodução

A parte sensorial estava sendo anunciada pelo nosso guia: "Quero que vocês tampem a boca do copo e mexam o azeite. Depois disso, me contem os cheiros que sentem".

"O Gustavo parece que está participando de uma aula do Harry Potter", brincou ele no vídeo, me convidando logo depois a compartilhar minha experiência. "Sinto cheiro de fruta cítrica, natureza, folhas", respondi.

Meus colegas concordaram comigo e, felizmente, era o que Marin queria ouvir: "Quanto mais natural for o cheiro dele, melhor ele é". Inacreditavelmente, estava gabaritando.

Depois disso, Marin queria que explorássemos o paladar: "Coloque o azeite na língua, deixe entre cinco e sete segundos e engula. Depois, me contem o que vocês sentiram".

Assim como minha colega, Takako, do Japão, exagerei na dose. Engoli demais e não foi nada prazeroso. Já os que fizeram corretamente receberam comentários positivos ao dizer que sentiram um leve amargo e cítrico, além da textura densa do líquido.

Azeite, ok. Garrafa, ok.

Nosso guia estava curioso para descobrir a origem dos nossos azeites. Ele esperava que o meu fosse brasileiro, mas era português: "O Galo é um dos meus preferidos", comemorou ele depois que mostrei minha garrafa de vidro.

"Não se pode ter tudo, Gustavo". Pensei comigo mesmo.

Azeite de oliva - Reprodução/Airbnb - Reprodução/Airbnb
Recipientes usados para estocar a produção na oficina de Marin
Imagem: Reprodução/Airbnb

"Se eu puder dar um conselho, sempre consumam o do seu próprio país, caso o território seja produtor. É importante pelo tempo de transporte, cuidados, entre outras coisas", aconselhou.

O papo que engatou depois disso foi sobre as embalagens de azeites. Basicamente, o que aprendi foi: 1) nunca confie nas de plástico; 2) as de metal não são as melhores, mas também não são as piores; 3) as de vidro são extremamente boas, mas, no final das contas, as de barro são as melhores — embora não valha o custo benefício para os produtores, segundo a experiência de Marin.

Despedida

Marin - Reprodução - Reprodução
Marin se despedindo do grupo da tour virtual pela fazenda da sua família na Croácia
Imagem: Reprodução

Nos despedimos todos e confesso que nunca imaginaria sequer ter interesse pelo assunto. Mas nasce aqui um novo fiscal do azeite popular. Minhas pizzas e saladas nunca mais serão as mesmas, assim como a forma com que eu — e todo mundo próximo de mim — usa o azeite.

Em tempos de quarentena e coronavírus, é bom sair da caixinha e descobrir novos interesses, mesmo que através da tela de um computador.

Enquanto isso, vou resistir à ideia de largar tudo para cultivar azeite de oliva nas montanhas da Croácia, o que ainda me parece muito tentador.