PUBLICIDADE
Topo

Faltam 9 países para ele conquistar o mundo, mas a covid-19 barrou a missão

Pedersen estava na missão de visitar todos os países do mundo até que o novo coronavírus surgiu - Arquivo pessoal
Pedersen estava na missão de visitar todos os países do mundo até que o novo coronavírus surgiu Imagem: Arquivo pessoal

De Nossa

23/04/2020 11h33

Há mais de seis anos, o dinamarquês Torbjørn "Thor" Pedersen, 41 anos, iniciou uma jornada ousada: viajar por todos os países do mundo sem pegar um único voo e com um orçamento de US$ 20 por dia. Faltavam apenas nove nações para ele completar a sua missão, mas o novo coronavírus acabou interrompendo seus planos.

Atualmente, Pedersen está "preso" em Hong Kong e não sabe quais serão os próximos passos de sua viagem pelo mundo, de acordo com informações da CNN Travel.

A mudança correu enquanto ele se preparava para embarcar em um navio rumo ao próximo destino, o arquipélago Palau, no Oceano Pacífico. O surto do novo coronavírus ganhou força e medidas restritivas de viagens foram determinadas em Hong Kong.

Apesar do adiamento dos planos, o viajante, que também é embaixador da Cruz Vermelha, decidiu encarar mais esse desafio. Afinal, não há outro jeito.

"Todo dia que passo em Hong Kong é mais um dia em que não estou progredindo. Estou perdendo tempo, mas tentando tirar o melhor proveito", disse Pedersen à CNN Travel.

"Com o que está acontecendo no mundo levará pelo menos mais um ano para terminar. Desistir é algo a se considerar. Estou cansado de viajar e pronto para ir para casa. Mas também sou teimoso e motivado", acrescentou.

A viagem pelo mundo de Pedersen começou em 2013. Após receber um artigo de seu pai, ele descobriu que realmente era possível visitar todos os países. "Nunca havia pensado nisso antes", lembrou.

Foram 10 meses de planejamento e a jornada começou pela Europa, seguiu pela América do Norte, América do Sul, Caribe, África, Mediterrâneo, Oriente Médio, Europa Oriental, Ásia e ilhas do Pacífico.

"Como eu trabalhava no transporte e logística, eu estava acostumado a ter várias coisas no ar ao mesmo tempo, encontrar soluções e tornar tudo mais eficiente. Isso ajudou muito em um projeto como este. Pode demorar 20 anos se você não tomar cuidado", afirmou na reportagem.

Entre as regras que determinou para si está a de passar pelo menos 24 horas em cada um dos países que visitar. Segundo ele, as viagens ocorrem por meio de navios (de carga também), trens, táxis, ônibus, carros compartilhados, balsas etc.

De acordo com a reportagem, o dinamarquês já passou por 194 nações. Agora, faltam Palau, Vanuatu, Tonga, Samoa, Tuvalu, Nova Zelândia, Austrália, Sri Lanka e a grande final nas Maldivas— acompanhe aqui os detalhes de como está sendo a jornada de Pedersen.

Depois de chegar ao último país, ele pretende celebrar com sua noiva (que acabou o visitando em alguns lugares do mundo). Até o coronavírus, os dois planejavam se casar na Nova Zelândia.

"Seria fácil ir ao aeroporto e voar para casa. Às vezes penso nisso. Mas, em algum momento, esse projeto deixou de ser sobre mim e começou a ser sobre outras pessoas", ressaltou sobre pensar em desistir por conta da pandemia.