PUBLICIDADE
Topo

Nossa Viagem

Brasileiro fica "preso" na fronteira dos EUA em viagem de bike pela América

Luís Antônio, de 27 anos, saiu de São Paulo há quatro anos para cruzar a América rumo aos Estados Unidos - Arquivo Pessoal
Luís Antônio, de 27 anos, saiu de São Paulo há quatro anos para cruzar a América rumo aos Estados Unidos Imagem: Arquivo Pessoal

Gustavo Frank

De Nossa

24/03/2020 04h00

Luís Antônio Botelho sempre teve o sonho de conhecer a América e está usando uma "simples" bicicleta para o trajeto, que já se aproxima dos 30 mil quilômetros trilhados pelas estradas de 14 países. Agora, o brasileiro vive incertezas sobre o futuro ao dar de cara com a fronteira entre o México, onde ele está, e os Estados Unidos fechada em consequência da epidemia do coronavírus — saga narrada por ele também em seu canal no YouTube, "A Vida Virou um Risco".

"O mais sensato a se fazer é ficar por aqui mesmo", conta ele ao Nossa. "Voltar para a casa por enquanto está fora de questão. Eu não tenho a pretensão de me expor, ainda mais voltando para o centro urbano, passando por vários aviões e aeroportos".

Com o visto mexicano de turista garantido até maio, o paulistano, de 27 anos, espera "a situação se acalmar" na cidade de San Felipo, no Golfo da Califórnia, no estado mexicano de Baja California. O local está localizado a 190 quilômetros ao sul da fronteira com os Estados Unidos e dentro do município de Mexicali.

Teto e comida em meio à pandemia

Luís ao lado dos dois outros viajantes no trailer park em que está hospedado em San Felipe, no México - Arquivo Pessoal
Luís ao lado dos dois outros viajantes no trailer park em que está hospedado em San Felipe, no México
Imagem: Arquivo Pessoal

Fora de casa há quatro anos, Luís está se hospedando no veículo de um casal canadense, com mais dois viajantes de bicicleta, em um parque de trailers.

"Por estar no deserto antes de chegar aqui, fiquei sem internet e eletricidade para carregar meu celular. Então, a última vez que tive acesso às redes foi no dia 11 de março, e comecei a ter uma dimensão das coisas só no dia 18, quando cheguei em San Felipe e comecei a ler as notícias", conta. "Agora, os restaurantes estão todos fechados, foi declarado estado de emergência e estão recomendando que ninguém saia de casa".

"Quarentena" fora do comum

O paulistano diz estar "acostumado" com o isolamento, mas está preocupado com a proporção mundial do coronavírus - Arquivo Pessoal
O paulistano diz estar "acostumado" com o isolamento, mas está preocupado com a proporção mundial do coronavírus
Imagem: Arquivo Pessoal

O isolamento não é estranho para Luís, que já se acostumou com os momentos em que tem apenas sua própria companhia ao longo da viagem e nas paradas.

"Eu estou bem cansado, de qualquer forma ia fazer essa 'quarentena'. Com ou sem pandemia", declara. "Como está tudo vazio nessa incerteza, o que realmente me preocupa é que continue esse clima de estado de emergência. Ficar isolado é comum nessas viagens".

Recepção duvidosa nos EUA

Brasileiro tinha como intuito finalizar sua viagem pela América conhecendo os parques nacionais nos Estados Unidos - Arquivo Pessoal
Brasileiro tinha como intuito finalizar sua viagem pela América conhecendo os parques nacionais nos Estados Unidos
Imagem: Arquivo Pessoal

Sobre os próximos passos a serem tomados, o brasileiro teme como será o futuro trajeto, quando a entrada for liberada, dentro dos Estados Unidos, onde pretende visitar os parques nacionais. Na última semana, o secretário de Relações Exteriores do México Marcelo Ebrad e o presidente norte-americano Donald Trump anunciaram a restrição inicial de um mês nas fronteiras entre o México e os EUA.

"Vou ficar aqui uns dias esperando mais informações para saber o que vai impactar na minha viagem", pontua. "O problema quando eu conseguir entrar vai ser na hora de ser recebido na casa das pessoas. Não posso pagar por hotéis, muito menos na Califórnia, para poder tomar banho e ter um lugar para me abrigar. Além disso, muita gente não vai querer receber viajantes em casa, com medo que o estrangeiro possa levar o vírus".