PUBLICIDADE
Topo

Do lago nudista ao bunker-galeria: conheça a Berlim que não está nos guias

O Sammlung Boros é um bunker da Segunda Guerra com exposições contemporâneas - Noshe/ Andreas Gehrke
O Sammlung Boros é um bunker da Segunda Guerra com exposições contemporâneas
Imagem: Noshe/ Andreas Gehrke

Rachel Verano

Colaboração para Nossa

13/03/2020 04h00

A stylist Amanda Berndt tem 33 anos e trocou São Paulo por Berlim no início de 2018, depois de um convite para trabalhar numa gigante digital de moda. Chegou na primavera, mas foi mesmo no verão que se apaixonou pela capital alemã, com seus parques, lagos e infinitas possibilidades de curtir a vida ao ar livre.

Amanda e Frida - Amanda Berndt - Amanda Berndt
Amanda Berndt passeia por Berlim
Imagem: Amanda Berndt

Moradora de Prezlauer Berg, um dos bairros mais bacanas da cidade - "o queridinho das famílias que comem orgânicos e fazem yoga", como ela brinca -, Amanda adotou a bicicleta como meio de transporte oficial e, nos finais de semana, não abre mão de levar sua cadela Frida a tiracolo nos passeios.

O que mais gosta em Berlim? "É uma cidade 100% hippie, muito paz e amor na real", diz. "Ninguém fica te julgando." A seguir, descreve para Nossa os lugares mais especiais que vem colecionando pelos quatro cantos da cidade.

Show de drag queen no café Selig, em Berlim - Instagram/seligberlin - Instagram/seligberlin
Show de drag queen no café Selig, em Berlim
Imagem: Instagram/seligberlin
As drags vão à igreja

O Selig é meu café favorito, localizado dentro de uma igreja em Neukolln, o bairro dos jovens descolados. Ele serve um brunch delicioso e um dos melhores bolos de cenoura de Berlim. Em alguns domingos do ano, há o "The Holy Brunch", com drinques especiais e shows de drag queens - vale a pena ficar de olho no Instagram deles para saber quando acontece o próximo.

Relax do parque

Depois do brunch, a pedida é dar um rolê no Tempelhof, um antigo aeroporto que foi transformado em parque. Além de ser muito good vibes, dá para sentir a essência da cidade por lá.

Tempelhof é um antigo aeroporto que foi transformado em parque - Christian Lue/Unsplash - Christian Lue/Unsplash
Tempelhof é um antigo aeroporto que foi transformado em parque
Imagem: Christian Lue/Unsplash

Livre, leves (e nus!) nos lagos

Nada é mais berlinense do que aproveitar os muitos lagos durante o verão, quando as temperaturas chegam a quase 40ºC. Um dos meus favoritos é o Liepnitzsee,o mais lindo da cidade, com uma água muito azul e cercado de natureza (mas é mais afastado, demoro umas duas horas de bicicleta para chegar).

O Teufelsee é um lago nudista, ótimo para entender o conceito FKK (sigla para Freikörperkultur), movimento alemão que celebra o corpo livre. Lá você encontra famílias inteiras e gente de todas idades, inclusive crianças. Detalhe: todo mundo se respeitando. Eu acho uma experiência mágica! Por fim, tem o Schlachtensee, superfácil de chegar de trem (basta pegar o S1), onde dá para alugar um barquinho a remo.

Lago Schlachtensee, nos arredores de Berlim - Getty Images - Getty Images
Lago Schlachtensee, nos arredores de Berlim
Imagem: Getty Images

Um dia no museu

Berlim tem muitos museus, mas para fugir dos mais famosos eu sugiro o Gropius Bau, de arte moderna e contemporânea. Ele está instalado em um prédio lindo que foi destruído durante a guerra, reconstruído e reaberto em 1981.

As exposições são sempre ótimas e tem um restaurante delicioso inspirado na cozinha judaica, o BEBA, com um jardim interior onde eles plantam todas as folhas do cardápio. E não perca os ótimos bolos!

O museu Gropius Bau, que aposta na arte moderna e contemporânea - Instagram/berlinerfestspiele - Instagram/berlinerfestspiele
O museu Gropius Bau, que aposta na arte moderna e contemporânea
Imagem: Instagram/berlinerfestspiele
Bunker revisitado

Para quem ama arte contemporânea e sabe se planejar com antecedência, uma das melhores experiências da cidade é o Sammlung Boros, um bunker da Segunda Guerra que fica no meio de Mitte e já foi de depósitos de armamentos da Alemanha Oriental a balada underground.

Em 2003, foi comprado por um amante de arte e transformado em galeria particular. Para visitar, é preciso reservar antes pelo site. As visitas são guiadas, com tours em inglês e alemão.

Segunda mão de primeira

Aqueles que gostam de brechós têm um prato cheiro em Berlim. Meu favorito é o Das Neue Schwarz, com ótima seleção de peças grifadas. Não é barato, mas tem ótimos achados.

Os fãs de alta-costura encontram no Rianna in Berlin a melhor seleção, com uma quantidade chocante de Yves Saint Laurent, Hermès e Emilio Pucci, incluindo peças de colecionador. Prepare-se: os preços são altos.

Para quem não quer gastar muito, meu favorito é o Made in Berlin (não tem site; Neue Schönhauser 19, Mitte, tel: +49 30 2123-0601), que tem uma ótima seleção e é superorganizado.

O brechó Rianna in Berlin aposta na alta-costura  - Instagram/riannainberlin - Instagram/riannainberlin
O brechó Rianna in Berlin aposta na alta-costura
Imagem: Instagram/riannainberlin

Mercados de pulga

Um dos melhores flea markets da cidade é o Arknoplatz Market. Ele acontece aos domingos, na charmosa pracinha de mesmo nome, em Mitte. Você encontra de móveis a roupas e quinquilharias irresistíveis. Outro muito bom se chama The Berlin Flea Market, perto da estação Tiergarten. Acontece aos sábados e domingos e dá para achar até trench coats originais de marcas como Burberry por preços muito bons!

Comida típica... do Vietnã

Um dos vários pratos do restaurante Umami, em Berlim - Instagram/maison_umami - Instagram/maison_umami
Um dos vários pratos do restaurante Umami, em Berlim
Imagem: Instagram/maison_umami
A comida tradicional de Berlim definitivamente não é a tradicional da Bavária que todos têm em mente, com salsichas e salada de batatas. É muito mais a vietnamita.

Um dos meus restaurantes favoritos é o Umami, com duas unidades: uma em Prenzlauer Berg e outra em Kreuzberg. Para os veganos, sugiro o Frea, adepto do conceito de lixo zero (tudo o que sobra vai para a composteira). O cardápio é enxuto e os pães, deliciosos.

Agora sim, o típico

Se mesmo assim você quiser provar comida alemã raiz, recomendo o Zur Haxe. Com ambiente kitsch e staff vestido a caráter, é frequentado só por famílias locais. O mais incrível é que, na mesma rua, há um conjunto de prédios desenhados pelo arquiteto Bruno Taut, que fez parte da Bauhaus, hoje Patrimônio Cultural da Unesco.

É clichê, mas eu amo

Tiergarten

Faço tudo de bicicleta, e amo quando o meu caminho inclui cortar o maior parque de Berlim. A natureza é exuberante e tem muitos animaizinhos, dá até para ver coelhos e raposas.

Parlamento (Reichstag)

Você entra, pega um elevador e sobe até o terraço, com uma vista incrível 360 graus! Recomendo ir no pôr-do-sol, é incrível! O melhor de tudo é que é de graça. Basta entrar no site e se cadastrar.