PUBLICIDADE
Topo

Cuba aplicará quarentena a viajantes de oito países africanos

Havana (foto), capital de Cuba: País também exigirá testagem e comprovante de vacinação dos viajantes - Yamil Lage/AFP
Havana (foto), capital de Cuba: País também exigirá testagem e comprovante de vacinação dos viajantes Imagem: Yamil Lage/AFP

da EFE, em Havana

30/11/2021 11h15

Cuba informou nesta segunda-feira que a partir de 4 de dezembro exigirá um exame de PCR negativo e aplicará a quarentena obrigatória de sete dias aos viajantes procedentes de África do Sul, Lesoto, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Namíbia, Malaui e Essuatíni devido à identificação da variante ômicron do coronavírus causador da covid-19.

As pessoas provenientes destes países africanos devem apresentar na chegada um comprovante de ciclo vacinal completo e um resultado negativo de um teste PCR realizado no máximo 72 horas antes da viagem. Além disso, outro teste deste tipo será aplicado no país, detalhou o Ministério da Saúde Pública (Minsap).

O comunicado de imprensa do Minsap acrescenta que, em caso de quarentena, os custos de alojamento e transporte serão arcados pelo viajante.

Os recém-chegados serão submetidos a um PCR-RT no sexto dia e, se o resultado for negativo, poderão terminar a quarentena no sétimo dia.

Os viajantes procedentes de Bélgica, Israel, Hong Kong, Egito, Turquia e do resto da África subsaariana "estarão sujeitos às mesmas medidas que os países anteriores, com exceção da quarentena e de um PCR no sexto dia", afirmou o governo cubano.

Cuba, que até 15 de novembro manteve os voos internacionais em frequência mínima devido à pandemia, conseguiu estabilizar os indicadores epidemiológicos após ter sofrido o seu pior surto em meados do ano.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a nova variante é "preocupante", razão pela qual pediu a todos os governos para acelerarem a vacinação e reforçarem a vigilância.