PUBLICIDADE
Topo

Dinamarca antecipa reabertura da vida cultural e relaxa entrada no país

Copenhagen, capital da Dinamarca, ficou vazia durante o mês de abril e agora se prepara para mais reaberturas - Getty Images
Copenhagen, capital da Dinamarca, ficou vazia durante o mês de abril e agora se prepara para mais reaberturas Imagem: Getty Images

22/05/2020 09h26

O governo da Dinamarca anunciou nesta quinta-feira que antecipará em duas semanas a reabertura da vida cultural e do ensino médio, além de flexibilizar nos critérios para a entrada no país, dentro da segunda fase do desconfinamento por conta da pandemia da Covid-19.

Museus, teatros, cinemas, centros de arte, aquários, zoológicos e jardins botânicos poderão reabrir suas portas imediatamente, e a partir do próximo dia 27, as aulas serão retomadas em todos os institutos de ensino médio.

Os funcionários do setor público que ainda não o fizeram poderão retornar ao seu trabalho físico, exceto em Copenhague e sua área de influência, segundo um acordo feito hoje pelo governo social-democrata da minoria com outros partidos com representação parlamentar.

Os residentes em outros países nórdicos e na Alemanha que tenham família na Dinamarca ou casa de veraneio poderão entrar no país a partir de segunda-feira, assim como também serão permitidas viagens de negócios.

O governo também anunciou que, antes do final do mês, apresentará um plano para uma reabertura controlada do turismo "aceitável do ponto de vista da saúde".

A proibição de concentrações de mais de dez pessoas continuará em vigor até 8 de junho e as boates, casas de shows e esportes indoor continuarão fechados até agosto.

O acordo é uma extensão da fase 2 apresentada no último dia 7 e era esperado após a primeira-ministra Mette Frederiksen anunciar novas negociações esta semana sob pressão de vários partidos de centro-direita.

A Dinamarca iniciou a fase de normalização há um mês e foi o primeiro país da União Europeia a reabrir creches e escolas.

As autoridades de saúde dinamarquesas controlaram a epidemia há alguns dias e descartaram uma segunda onda, embora não houvesse surtos isolados, enquanto optavam por uma estratégia mais ofensiva de testes e rastreamento.

A Dinamarca, com 5,7 milhões de habitantes, registrou até hoje 11.315 casos e 554 mortes por Covid-19.