PUBLICIDADE
Topo

Museu de Roma lança mostra sobre Embaixada da Itália no Brasil

A Embaixada da Itália em Brasília, com projeto assinado por Pier Luigi Nervi - Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil
A Embaixada da Itália em Brasília, com projeto assinado por Pier Luigi Nervi Imagem: Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil

da ANSA, em São Paulo

02/12/2021 11h34

O renomado Museu Maxxi de Roma lançou um projeto online para celebrar o engenheiro Pier Luigi Nervi e uma de suas obras mais famosas: a sede da Embaixada da Itália em Brasília.

Disponível desde a última terça (30), o site nerviabrasilia.maxxi.art conta a história do nascimento, da construção e da imagem atual de um dos edifícios mais icônicos da capital federal, que foi a última obra supervisionada diretamente por Nervi e sintetiza toda a sua experimentação.

A iniciativa é um percurso multimídia estruturado em seções temáticas com desenhos, fotografias, documentos, trocas de correspondência e trabalhos gráficos conservados no Maxxi. Entre os arquivos está uma carta de 1969 na qual Pietro Nenni, então ministro das Relações Exteriores da Itália, convida Nervi para projetar o edifício da embaixada, além de registros da amizade do engenheiro com Pietro Maria Bardi e Lina Bo Bardi.

O interior da Embaixada da Itália em Brasília, com projeto assinado por Pier Luigi Nervi - Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil - Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil
O interior da Embaixada da Itália em Brasília, com projeto assinado por Pier Luigi Nervi
Imagem: Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil

O percurso do visitante é pontuado por vídeos inéditos que situam a obra no contexto histórico e urbano do nascimento de Brasília, mas também da Itália dos anos 1970, e é acompanhado por depoimentos de pesquisadores, estudiosos e acadêmicos.

"Esse esplêndido projeto, que quisemos copatrocinar, vai contribuir para tornar uma joia da arquitetura italiana no exterior conhecida pelo grande público, inclusive porque será visível para todos, na web", disse o embaixador italiano em Brasília, Francesco Azzarello.

Já Margherita Guccione, diretora do Maxxi Architettura, disse estar "particularmente satisfeita com o projeto e com a valiosa colaboração com a Embaixada da Itália em Brasília". "Agradeço ao embaixador Francesco Azzarello e a toda a equipe da embaixada, com quem compartilhamos a missão de preservar, aprimorar e disseminar o conhecimento de um dos mais importantes mestres do século 20", salientou.

Livro e estátua

Além disso, no último dia 29 de novembro, a Embaixada da Itália em Brasília inaugurou uma estátua de Nervi em tamanho natural, criada pela escultora ítalo-brasileira Christina Motta. "Foi um privilégio ter sido escolhida para tentar reproduzir a figura de um homem que representou um marco na arquitetura mundial", disse a artista.

A cerimônia contou com as presenças da ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, da secretária de Justiça do Distrito Federal, Marcela Passamani, e das netas do engenheiro italiano, Clara e Irene Nervi. "A estátua reproduz de forma exemplar tanto a figura quanto a personalidade de nosso avô", afirmaram.

A estátua de Pier Luigi Nervi - Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil - Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil
A estátua do projetista italiano Pier Luigi Nervi foi inaugurada na sede da Embaixada em Brasília em 29 de novembro
Imagem: Divulgação/Embaixada da Itália no Brasil

No mesmo dia, sede diplomática aproveitou a ocasião para apresentar o livro "A Embaixada da Itália em Brasília - Poéticas da arquitetura italiana no Brasil", disponível em formato digital em italiano, português e inglês.

"Queríamos celebrar o gênio arquitetônico de Pier Luigi Nervi e o valor histórico e cultural daquela que todos afirmam ser a mais bela embaixada de Brasília. O livro contém várias contribuições preciosas e inéditas, incluindo uma da Universidade de Brasília sobre o papel do projeto de Nervi na história da arquitetura brasileira e sobre seu significado no contexto da capital futurista, juntamente com um capítulo das netas de Nervi sobre a ligação estrutural entre a embaixada e a natureza, em particular sobre as referências às paisagens da floresta amazônica", salientou Azzarello.