PUBLICIDADE
Topo

Unesco amplia área de Patrimônio Mundial na cidade de Florença

28/07/2021 13h14

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) ampliou nesta quarta-feira (28) as áreas reconhecidas como Patrimônio Mundial da Humanidade no centro histórico de Florença, na Itália.

Passam a integrar o reconhecimento a Abadia de San Miniato, a igreja de San Salvatore al Monte, as Rampas do Poggi, a Piazzale Michelangelo, os Jardins das Rosas e os Jardins das Íris.

A decisão foi ratificada na 44ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, durante a reunião online que está sendo realizada a partir de Fuzhou, na China.

O prefeito de Florença, Dario Nardella, afirmou que a ampliação marca "um dia histórico".

"Nós conseguimos demonstrar o extraordinário valor dessa área da cidade. San Miniato e toda a área esquerda do rio Arno, a esplêndida vista da praça, os jardins, as rampas recentemente restauradas e trazidas para a sua extraordinária beleza, serão, a partir de hoje, colocadas entre as maravilhas do mundo. Ao todo, Florença terá mais de 530 hectares de área de inestimável valor artístico, histórico e ambiental", acrescentou Nardella.

O prefeito ainda acrescentou que o reconhecimento é fruto do "sucesso da cidade e dos cidadãos" nos últimos sete anos, quando foram usados recursos para resgatar os monumentos históricos.

"Nós devolvemos a beleza e a dignidade a uma parte do imenso patrimônio de Florença e hoje o mundo inteiro reconhece isso", pontuou.

O centro histórico de Florença foi um dos primeiros locais na Itália a receber o título da Unesco, em 1982. Entre os monumentos que haviam sido agraciados, estavam a Catedral Santa Maria del Fiore, a igreja da Santa Cruz, as Gallerie degli Uffizi e o Palácio Pitti.

Essa não é a primeira vez que a Unesco amplia um reconhecimento na Itália. O "Centro histórico de Roma e as propriedades da Santa Sé" ganharam o título de Patrimônio Mundial em 1980 e uma extensão em 1990. Mesma situação ocorreu com "Ferrara, a cidade do Renascimento, e o delta do rio Pó", que foi reconhecida em 1995 com uma extensão quatro anos depois.

Desde o último sábado (24), a agência da ONU adicionou mais três localidades italianas como Patrimônios da Humanidade: os "Ciclos de afrescos do século 14 de Pádua"; a pequena Montecatini Terme, na Toscana, entre as 11 "Grandes cidades termais da Europa"; e os "Pórticos de Bolonha".

Com as adições dessa semana, a Itália possui 58 bens e locais tombados como patrimônios, tendo a liderança absoluta entre as nações do mundo.