PUBLICIDADE
Topo

Merkel indica Itália como destino possível para viagens

Coliseu: aviso durante a pandemia - Getty Images
Coliseu: aviso durante a pandemia Imagem: Getty Images

29/09/2020 16h22

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, desaconselhou viagens ao exterior para países considerados zonas de risco para o novo coronavírus (Sars-CoV-2), mas indicou a Itália como um destino possível, por estar controlando a pandemia.

"Na Europa, há muitas áreas em risco", afirmou a alemã, argumentando que não seria apropriado passar férias em nações onde o risco de contágio é alto.

Segundo a chanceler, os cidadãos precisam escolher destinos seguros, os quais têm registrado desaceleração no número de infectados. "É possível viajar para a Alemanha e para regiões sem risco na Europa. Na Itália, por exemplo, se age com muita cautela", acrescentou.

Nas últimas semanas, vários países vizinhos da Alemanha, como Bélgica, Holanda e França, também registraram aumento de casos. Merkel, por sua vez, enfatizou que o governo alemão continuará a trabalhar junto com outros países da UE em medidas de mitigação. O governo espera expandir sua estratégia de teste introduzindo procedimentos de teste rápido, em particular, para viajantes que retornam.

Hoje, a chanceler alemã anunciou novas medidas contra a Covid-19, após uma reunião de emergência com os líderes de todos os estados. O objetivo das novas medidas, segundo ela, é fazer com que as autoridades se antecipem ao aumento das infecções e evitem outro bloqueio nacional.

Escolas e festas

Merkel explicou que a prioridade do governo é manter a economia, as escolas e as creches abertas e funcionando. Por isso, entre as medidas anunciadas estão limites para o número de pessoas em festas públicas e privadas. Nas áreas que registram mais de 35 infecções por 100 mil habitantes em sete dias, as festas privadas terão um limite de 25 pessoas, enquanto as festas realizadas em espaços públicos agora são limitadas a 50 pessoas. Além disso, será aplicada uma multa de 50 euros para indivíduos que fornecerem informações falsas em restaurantes e outros estabelecimentos fechados, onde atualmente é necessário deixar informações de contato para fins de rastreamento.