PUBLICIDADE
Topo

Espanha espera temporada de verão recorde no turismo

Parc Güell em Barcelona, na Espanha: país já sente os efeitos da retomada turística - MasterLu/Getty Images/iStockphoto
Parc Güell em Barcelona, na Espanha: país já sente os efeitos da retomada turística Imagem: MasterLu/Getty Images/iStockphoto

da AFP, em Madri

07/07/2022 13h43

Segundo destino turístico mundial antes da pandemia do coronavírus, a Espanha espera uma afluência recorde de turistas no verão boreal, após dois anos de restrições sanitárias, mas a inflação gera temores de tempos mais difíceis assim que a temporada passar.

Acabaram-se as praias parcialmente vazias e os hotéis em busca de hóspedes. O "furor por viagens que se desatou em toda a Europa" provocou na Espanha "um fulgurante repique da frequência turística".

Segundo dados do Ministério do Turismo espanhol, 22,7 milhões de pessoas visitaram o país nos primeiros cinco meses de 2022, sete vezes mais do que no mesmo período de 2021, uma dinâmica que se estenderá à temporada de verão.

Os "números de reservas confirmam nosso país como um destino favorito internacionalmente e marcam boas perspectivas para a alta temporada", antecipou na segunda-feira a ministra do Turismo, Reyes Maroto.

O caos provocado pela retomada desordenada do fluxo de passageiros já foi visto no Aeroporto El Prat, de Barcelona - Pau BARRENA / AFP - Pau BARRENA / AFP
O caos provocado pela retomada desordenada do fluxo de passageiros já foi visto no Aeroporto El Prat, de Barcelona
Imagem: Pau BARRENA / AFP

"Depois de dois longos anos", "vamos viver um verão como os de antes", sentenciou Fernando Valdés, secretário de Estado de temas turísticos.

Segundo a Exceltur, uma associação de companhias do setor, os meses de julho e agosto deste ano poderiam ser "similares" aos de 2019, ano recorde de frequência turística na Espanha. "A demanda europeia e nacional é muito alta" e beneficiará o "conjunto do setor", disse seu vice-presidente, José Luis Zoreda.

Uma opinião compartilhada pelos profissionais, sobretudo no litoral. "Tudo faz prever que vai ser um dos melhores verões da história", comemorou Diego Salinas, encarregado da Associação de Bares, Restaurantes e Cafeterias (ABRECA) de Benidorm, famosa localidade turística da Costa Blanca, no leste do país.

Turistas na Catedral La Almudena, em Madri, Espanha - SUSANA VERA/REUTERS - SUSANA VERA/REUTERS
Turistas na Catedral La Almudena, em Madri, Espanha
Imagem: SUSANA VERA/REUTERS

Javier Ibáñez, economista do Caixabank, é um pouco menos otimista e espera um PIB turístico para a Espanha "similar ao de 2017", que foi inferior ao de 2019.

"Saturação"

Para o setor turístico, do qual dependiam 13% dos empregos na Espanha e 12,5% do PIB antes da pandemia, esta esperada reativação é um alívio, embora os profissionais tenham dificuldades de contratação, sobretudo na costa e nas grandes cidades.

Segundo a Exceltur, o PIB gerado pelo turismo deveria chegar a 151,8 bilhões de euros (cerca de R$ 825 bilhões) este ano — 10 bilhões de euros (R$ 54,35 bilhões) a mais do que a previsão inicial.

Esta cifra é levemente inferior à de 2019 (155 bilhões de euros ou R$ 842,35 bilhões), mas muito superior à de 2020 (52 bilhões de euros ou R$ 282,6 bilhões) e 2021 (88 bilhões de euros ou R$ 478,25 bilhões).

Restaurantes nas ruas de Alicante, na Espanha: pode faltar funcionário para atender ao fluxo de turistas - soniabonet/Getty Images - soniabonet/Getty Images
Restaurantes nas ruas de Alicante, na Espanha: pode faltar funcionário para atender ao fluxo de turistas
Imagem: soniabonet/Getty Images

Os destinos que mais devem se beneficiar desta recuperação são os da costa andaluz (+7,4% em relação a 2019), Canárias (+3,5%) e Baleares (+3,6%). Os setores com perspectivas mais otimistas são os parques de diversão (+7,4%) e as empresas de aluguel de carros (+1,7%).

No entanto, esta forte recuperação não está isenta de preocupações, por exemplo, pelos problemas de massificação que provocaram o caos em vários aeroportos do país nas últimas semanas e reacenderam a polêmica sobre o modelo de turismo massificado.

Esta "explosão da demanda turística" pode provocar problemas de "saturação", que se traduzem em "polêmicas entre moradores e turistas", que acabem afetando "a reputação do setor", admitiu Zoreda.

Regiões litorâneas, como Zahara de los Atunes, na província de Cadiz (foto), devem receber a maior parte dos visitantes no verão - alvarobueno/Getty Images - alvarobueno/Getty Images
Regiões litorâneas, como Zahara de los Atunes, na província de Cadiz (foto), devem receber a maior parte dos visitantes no verão
Imagem: alvarobueno/Getty Images

Além disso, o aumento mundial dos preços é prejudicial. Esta "espiral inflacionária", que afeta em especial a energia e alimentação, limita de forma importante "as margens das empresas", advertiu a Exceltur.

Mas este aumento de preços poderia frear a recuperação ao socavar o poder aquisitivo dos consumidores? Embora o setor tenha demonstrado resistência até agora, a desaceleração econômica provocada pela guerra na Ucrânia "afetará" o turismo, admite Javier Ibáñez, do Caixabank.