PUBLICIDADE
Topo

Colômbia expulsará estrangeiros que violarem restrições a reuniões sociais

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

19/01/2021 09h25

Os estrangeiros que violarem as restrições a reuniões sociais, impostas na Colômbia para prevenir a propagação do novo coronavírus serão expulsos do país, advertiu a autoridade migratória nesta segunda-feira (18).

"Os estrangeiros que forem surpreendidos em festas clandestinas, violando as medidas de isolamento, (...) serão expulsos do território nacional imediatamente", informou a Migração Colômbia em um comunicado de imprensa.

A medida foi adotada "após a detecção de 65 estrangeiros em uma festa clandestina" em Bogotá na madrugada de domingo, explicou a entidade.

Segundo a polícia, "a maioria" dos participantes no evento era "de nacionalidade venezuelana".

"A Migração Colômbia não vai permitir que nenhum estrangeiro afete a segurança sanitária" do país, enfatizou Henry Corredor, diretor da regional andina da instituição.

A Colômbia abriga pouco mais de 1,7 milhão de venezuelanos, segundo a autoridade migratória, que calcula que 55% deles estariam "em condição irregular". No total, cinco milhões de venezuelanos deixaram seu país desde 2015, fugindo de uma profunda crise econômica, segundo a ONU.

A Colômbia impôs um confinamento estrito no fim de março de 2020, após detectar o primeiro caso do novo coronavírus no começo daquele mês.

O governo relaxou estas medidas em 1º de setembro, apostando no autocuidado e no uso generalizado de máscaras. No entanto, eventos multitudinários e a abertura de discotecas continuam proibidos.

Durante as primeiras semanas de 2021, registrou-se um aumento de casos e mortes pela covid-19, que deixou os hospitais das principais cidades colombianas à beira do colapso, obrigando vários prefeitos a decretar confinamentos e toques de recolher noturnos que afetam 60% do total da população.

Com quase dois milhões de contágios, a Colômbia é o segundo país latino-americano com maior número de casos de covid-19 depois do Brasil.