PUBLICIDADE
Topo

Airbnb oferece acomodação a 100 mil pessoas ligadas ao combate do covid-19

O site informou que irá subsidiar alojamentos oferecidos por seus anfitriões para trabalhadores da área de saúde  - Getty Images
O site informou que irá subsidiar alojamentos oferecidos por seus anfitriões para trabalhadores da área de saúde
Imagem: Getty Images

26/03/2020 18h17

A plataforma Airbnb anunciou nesta quinta-feira (26) que irá oferecer acomodação grátis ou subsidiada a até 100 mil pessoas que prestam serviço em atividades relacionadas à pandemia do novo coronavírus.

O site de aluguel por temporada informou que irá subsidiar alojamentos oferecidos por seus anfitriões para trabalhadores da área de saúde ou outros profissionais que atendem à emergência sanitária, a fim de possibilitar que os mesmos se mantenham perto dos locais onde desenvolvem suas atividades.

A medida foi tomada em cooperação com a Federação Internacional da Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho, o Comitê Internacional de Resgate, o Corpo Médico Internacional e outras ONGs, segundo o comunicado do Airbnb.

A empresa, que prevê um grande impacto causado pela pandemia, pediu que seus anfitriões ofereçam hospedagem gratuita, e afirmou que irá renunciar a todas as suas comissões.

"Começamos com projetos-piloto na Itália e França, e quase 6 mil anfitriões heroicos se inscreveram", disse o presidente-executivo da plataforma, Brian Chesky. "Hoje, estamos ampliando as acomodações, para que atendam à Covid-19 em nível mundial".

O Airbnb, uma das maiores plataformas da chamada economia colaborativa, havia planejado uma oferta pública de ações este ano, antes da pandemia, com um valor estimado em até 35 bilhões de dólares. A empresa informou que desenvolveu um protocolo para os anfitriões que apoiam este esforço coletivo, incorporando orientações de autoridades locais e nacionais e dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

Em alguns casos, isto significará 72 horas entre cada hospedagem, informou a empresa de San Francisco.