PUBLICIDADE
Topo

Em Cannes, extravagância dos looks foi vingança contra conforto já tedioso

Festival de Cinema de Cannes reviveu o glamour do tapete vermelho com visuais mais fantasiosos, fugindo de uma moda presa à zona de conforto na pandemia do coronavírus - Getty images
Festival de Cinema de Cannes reviveu o glamour do tapete vermelho com visuais mais fantasiosos, fugindo de uma moda presa à zona de conforto na pandemia do coronavírus
Imagem: Getty images
Gustavo Frank

Gustavo Frank

Formado em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, possui certificados em "Análise da Criação de Artes Visuais", na Escola Nacional de Belas Arte de Lyon (ENSBA Lyon), e no curso "Fashion as Design", parte do programa de ensino do Museu de Arte Moderna (MoMA).

De Nossa

22/07/2021 04h00

A era dos moletons. Esse é um dos possíveis nomes que podemos dar, quando nos referimos à moda, ao confinamento durante a pandemia do coronavírus. O conforto predominou, dentro e foras das passarelas, enquanto muitos questionavam: como será o retorno dessa indústria? A fantasia, sensualidade e o clima festivo eram algumas das apostas — e, de acordo com o Festival de Cinema de Cannes, os palpites estavam certos.

O evento serviu quase como um aquecimento para o Met Gala que, depois de um ano suspenso, voltará aos holofotes em 2021, no mês de setembro. O tapete vermelho reuniu diversas celebridades que desfilaram looks, em grande parte, extravagantes. O "aconchegante" pode até ter dado as caras, mas quem roubou as cenas foram as roupas que traziam a mensagem de que, finalmente, poderemos voltar a sonhar com o retorno do glamour em breve.

A moda-fantasia

Bella Hadid | Schiaparelli - Getty Images - Getty Images
Bella Hadid | Schiaparelli
Imagem: Getty Images

Neste ano, Bella Hadid se consagrou como uma das famosas em que, a partir das próximas edições, todos vão estar ansiosos para ver o que está vestindo.

Entre seus looks, estava um vestido da Jean Paul Gaultier, lançado em 2002, e reproduzido especialmente para a modelo. No entanto, o mais deslumbrante deles foi o Schiaparelli. Com pulmões de ouro que cobriam o busto, a peça da grife italiana foi um suspiro para a moda criativa nos red carpets.

Bella Hadid | Schiaparelli - Getty Images - Getty Images
Bella Hadid | Schiaparelli
Imagem: Getty Images
Bella Hadid | Jean Paul Gaultier - Getty Images - Getty Images
Bella Hadid | Jean Paul Gaultier
Imagem: Getty Images

Conto de fadas

Mas o exagero foi visto de diversas outras maneiras. Uma delas os tules volumosos, como mostrou a nossa "Garota Exemplar" Rosamund Pike. Camadas do tecido na cor vermelha deram movimento a baixa inferior do vestido, enquanto um decote transparente nas laterais destacavam o busto da peça Dior.

Rosamund Pike | Dior - Arnold Jerocki/FilmMagic) - Arnold Jerocki/FilmMagic)
Rosamund Pike | Dior
Imagem: Arnold Jerocki/FilmMagic)

O look em questão foi apresentado na coleção de Outono/Inverno 2021, posterior ao mergulho místico no tarot, em que a diretora criativa Maria Grazia Chiuri trabalhou com o universo fantasioso para a elaboração do conceito — citando referências como a "A Bela e a Fera", em sua versão cinematográfica de Jean Cocteau (1946), do conto escrito por Madame de Villeneuve, em 1740.

Rosamund Pike | Dior - Getty Images - Getty Images
Rosamund Pike | Dior
Imagem: Getty Images

O conto de fadas ganhou vida em Cannes, mas não apenas com Rosamund Pike levando a mensagem da Dior.

O tule foi o ponto de destaque também do vestido usado por Sharon Stone. A atriz apareceu no tapete vermelho do festival coberta pelo tecido azul e flores, feitas à mão, que decoravam deste o seu decote até a barra da peça da Dolce & Gabbana. Em algumas fotos, ela foi registrada tendo dificuldades para subir a escadaria do local.

Mas quem liga pra isso quando está vivendo uma fantasia depois de tanto tempo?

Muito ainda é pouco
Do guarda-chuva às joias

Yseult | Vivenne Westwood - Getty Images - Getty Images
Yseult | Vivienne Westwood
Imagem: Getty Images

Se alguém ainda tinha dúvidas sobre isso, a francesa Yseult não deixou incertezas. Com um vestido branco da estilista Vivienne Westwood, a cantora usou a peça que deixava as pernas de fora e misturava ao mesmo tempo volumes, como nos ombros, e transparência com rendas nos braços, cintura e pernas.

Já o acessório escolhido por ela foi um guarda-chuva. Nada de bolsas, mas um guarda-chuva que complementava o resto do look — que poderia facilmente ser usado por uma noiva da Geração Z como um véu moderno.

Yseult | Vivienne Westwood - Getty Images - Getty Images
Yseult | Vivienne Westwood
Imagem: Getty Images

E, por falar em noivas e exagero, a cauda do vestido da Gucci, usado pela atriz Jodie Turner-Smith, foi outro ponto alto do tapete vermelho com o contraste de cor entre o amarelo e branco.

Jodie Turner-Smith | Gucci - Getty Images - Getty Images
Jodie Turner-Smith | Gucci
Imagem: Getty Images

A parte de cima da peça reproduzia uma lingerie com pequenos brilhantes cravados. Os colares e brincos usados por ela também eram da coleção de alta joalheria da grife italiana — que chamaram a atenção de ladrões e resultaram em um furto de joias no seu quarto de hotel em Cannes.

"Não pensei que passaria duas horas e meia na delegacia de polícia no meu último dia em Cannes, mas aqui estamos nós", escreveu ela no seu perfil no Twitter.

Jodie Turner-Smith | Gucci - Getty Images - Getty Images
Jodie Turner-Smith | Gucci
Imagem: Getty Images

A moda masculina em Cannes
Rosa e brilho

Timothée Chalamet | Tom Ford - Getty Images - Getty Images
Timothée Chalamet | Tom Ford
Imagem: Getty Images

Entre inúmeros ternos pretos e brancos, os que se destacaram na moda masculina do festival foram os que levaram cores ao tapete vermelho. Preferencialmente, o rosa. O mais poderoso deles, provavelmente, o escolhido por Spike Lee. O conjunto da Louis Vuitton escolhido por ele para a sua estreia, em um pink vibrante, foi um dos momentos auges para os homens que se inspiram no que veem por lá.

O visual do presidente do júri do festival foi complementado ainda por óculos escuros e um par de tênis Air Jordans, da Nike.

Spike Lee | Louis Vuitton - Getty Images - Getty Images
Spike Lee | Louis Vuitton
Imagem: Getty Images

A mesma cor apareceu, em tom pastel, no terno da Loewe do ator Josh O'Connor, conhecido por dar vida ao príncipe Charles na série "The Crown", da Netflix. O ator, que vem conquistando seu espaço fashionista ao lado da casa de moda espanhola em questão, foi fotografado também com outra peça da marca: uma camisa com uma regata bordada na parte frontal. Uma espécie de sobreposição criativa.

Josh O'Connor | Loewe - Getty Images - Getty Images
Josh O'Connor | Loewe
Imagem: Getty Images
Josh O'Connor | Loewe - Getty Images - Getty Images
Josh O'Connor | Loewe
Imagem: Getty Images

Timothée Chalamet também se fez diferente em maio ao preto e branco. O ator, conhecido por atuar em "Me Chame Pelo Seu Nome", desfilou um terno da Tom Ford com estampa jacquard prateada. O look foi combinado com uma camisa de gola com faixas e botas com biqueira chanfrada creme.

Timothée Chalamet | Tom Ford - Getty Images - Getty Images
Timothée Chalamet | Tom Ford
Imagem: Getty Images
Timothée Chalamet | Tom Ford - Getty Images - Getty Images
Timothée Chalamet | Tom Ford
Imagem: Getty Images

Memes

Ao lado dos colegas, o diretor Wes Anderson e os atores Tilda Swinton e Bill Murray, Timothée foi um dos coprotagonistas de um dos melhores memes do Festival de Cannes, em 2021.

No Twitter, o visual dos quatro desencadeou diversas publicações, que os comparavam ao comportamento de usuários nas diferentes redes sociais até as particularidades na forma de vestir de cada geração, da Z aos Boomers.

"Prefiro Toddy ao tédio"

No Brasil, a pandemia ainda parece um pouco distante de chegar ao fim. Enquanto isso, a animação inicial de nos vestirmos de forma confortável já beira ao tédio — mesmo com os fashion filmes, como no São Paulo Fashion Week N51, dando asas à imaginação.

Para o nosso conforto, ironicamente, o Festival de Cannes mostrou que há um futuro fantasioso e, sobretudo, melhor.