PUBLICIDADE
Topo

Como cuidar das plantas no inverno? Veja as dicas para mantê-las saudáveis

Getty Images
Imagem: Getty Images
CAROL COSTA

Jornalista há 20 anos, comanda o site Minhas Plantas, o quadro Jardinaria (BandNews) e o programa A Louca das Plantas (GNT). É autora do dos livros "Minhas Plantas - Jardinagem para Todos (Até Quem Mata Cactos)", "Horta em Vasos" e "365 Dias Para Plantar".

Colaboração para Nossa

09/07/2020 04h00

Os sinais começam muito antes de o frio chegar: as pontinhas das folhas da jiboia ficam secas e quebradiças, as folhas da hortelã e do tomateiro se revestem de uma penugem branca, os caládios e as alocásias parecem morrer repentinamente.

Plantas de folhas largas e finas, como helicônias, bananeiras, calatéias e filodendros começam primeiro a amarelar nas bordas, depois a queimar da ponta pro centro. E, claro, há sempre a desagradável surpresa de acorda e encontrar sua horta ou suas orquídeas preferidas destruídas pela geada.

Mesmo num país de invernos amenos como o nosso, a chegada da temporada fria traz consigo alguns desafios para quem ama plantas. Aqui vão três estratégias simples, que podem deixar suas verdinhas saudáveis por muitos meses, pelo menos até que a primavera surja por aqui.

O jeito certo de regar

plantados - regando - Getty Images - Getty Images
O "dedômetro" é a melhor maneira de descobrir quando suas plantas precisam ser regadas
Imagem: Getty Images
A primeira medida a tomar é com as regas, que precisam ser mais espaçadas -- com temperaturas médias abaixo dos 20ºC em quase todo o Brasil, a água presente no solo demora mais a evaporar. Isso significa que, se você segue alguma formulinha de molhar as plantas X vezes por semana, esse é um bom momento para mudar de estratégia e usar o dedômetro.

Toque com a pontinha do dedo o substrato toda vez que for regar um vaso ou canteiro, molhe APENAS se o dedo sair limpo. Isso pode variar imensamente de acordo com o tipo de planta, o lugar em que ela está, sua idade, o tipo de substrato, a incidência de sol e vento e até mesmo o material do qual o vaso é feito ou a face para a qual sua casa está voltada.

Com tantos fatores entrando na composição, era de se esperar que o resultado da equação fosse complicado, certo? Não é. Ao usar o dedômetro, cada planta conta para você quando precisa ser regada novamente. Mais personalizado do que isso, só se ela te mandasse um Whats.

As plantas que dormem

plantados - caládios - Getty Images - Getty Images
Seus caládios ficam "feios" no inverno? Não se preocupe: eles podem apenas estar "dormindo"
Imagem: Getty Images
Muitas espécies tropicais diminuem o metabolismo durante os meses frios ou simplesmente entram em dormência. Mais ou menos como fazem os ursos, essas verdinhas se livram de tudo aquilo que é descartável -- folhas? Pra quê preciso delas? -- e se concentram em manter funcionando apenas o que é essencial.

Existem milhares de exemplos de plantas que fazem isso, mas as mais conhecidas talvez sejam caládios e alocásias: suas folhas ficam amarelas, secam, caem e, durante meses, não surge nada em seu lugar.

Para todos os efeitos, a planta parece ter morrido. Ao escavar o substrato, você descobrirá os bulbos, as estruturas especiais que essas plantas têm nas raízes e que, a exemplo do que acontece com cebolas e tulipas, mantêm a espécie vivíssima.

Assim que o frio passa, com o aquecimento do solo, essas verdinhas retomam a atividade e voltam a produzir brotos, folhas e flores, como se tivessem apenas tirado um cochilo. Não é preciso fazer nada de especial com elas, nem mesmo desplantar os bulbos, apenas diminuir as regas para evitar que apodreçam as raízes.

As folhas que ficam feias

Plantados - borrifando - Getty Images - Getty Images
Quando você sentir a própria pele ressecada, provavelmente suas plantas também estão sofrendo com o inverno: é hora de borrifar
Imagem: Getty Images

Ar seco faz estragos na gente: resseca a pele, cria rachaduras nos pés, deixa o cabelo uma palha e pode até machucar os lábios ou fazer o nariz sangrar.

Seres clorofilados passam por dramas semelhantes, especialmente se têm folhas muito largas e finas, que se rasgam, se partem ou queimam e amarelam com a baixa umidade. A solução seria molhar mais? Não é bem isso — volte à primeira dica desta matéria.

Para evitar esses sinais, é preciso aumentar umidade do ar, não do solo. Faça isso pulverizando as folhas e o entorno da planta toda vez que sentir que a sua garganta está seca, que as mãos estão rachadas ou que a pele parece áspera.

Pode ser difícil se precaver contra a desidratação nas plantas, porque elas dão sinais muito discretos de que algo está ruim, mas é bem fácil perceber os malefícios do ar seco na nossa pele. Se você estiver aumentando o uso de hidratante ou passando mais protetor labial, pode ter certeza de que suas plantas estão sofrendo com a secura do inverno.