PUBLICIDADE
Topo

5 atividades de jardinagem para fazer com os filhos

Mãe e a filhas cultivam horta: incentivo ao contato com a natureza - Getty Images
Mãe e a filhas cultivam horta: incentivo ao contato com a natureza
Imagem: Getty Images
CAROL COSTA

Jornalista há 20 anos, comanda o site Minhas Plantas, o quadro Jardinaria (BandNews) e o programa A Louca das Plantas (GNT). É autora do dos livros "Minhas Plantas - Jardinagem para Todos (Até Quem Mata Cactos)", "Horta em Vasos" e "365 Dias Para Plantar".

Colaboração para Nossa

29/06/2020 04h00

"Não arranca florzinha que a plantinha fica triste!", ouvi milhares de vezes da minha mãe quando era criança. Foi com ela que aprendi a respeitar os seres clorofilados que habitavam a mesma casa que eu. Ainda que eu fizesse saladinha com trevos ou bolinhos de terra para alimentar as Barbies da minha irmã, logo percebi que planta não era brinquedo, embora pudesse ser muito divertido estar com elas.

Do feijão no algodão até as dezenas de projetos de jardim que já fiz, foi uma longa aventura, que, hoje, tento compartilhar com minhas sobrinhas, como meus pais e avós fizeram comigo.

Para atividades jardinísticas darem certo, é menos importante que a planta seja pequena. Digo isso porque muita gente valoriza o tomate-cereja ao começar uma horta com os filhos — taí uma espera cruel para uma criança, já que, por longos quatro ou cinco meses, nem mesmo flores aparecerão.

Então, em vez de pegar uma espécie miniatura, que tal diminuir o tempo de expectativa infantil? Rabanetes, por exemplo, ficam em ponto de colheita em 28 dias — isso, sim, é fast food!

jardinagem com crianças - Getty Images - Getty Images
Tomates-cereja demoram mais tempo para vingar: que tal optar por rabanetes ou verduras?
Imagem: Getty Images

Verduras também rendem colheitas precoces, com cerca de 20 dias, tornando-se um estímulo ao mesmo tempo bom para jardinar e para comer salada. Morangos demoram à beça para se desenvolver a partir de sementes, mas, se comprar mudas, os bracinhos que a planta solta logo geram novas mudas e é bem divertido ir espalhando uma enorme família toda "em rede", conectada por fios ao longo de vários vasos.

Chamadas de estolhos, essas estruturas são caules superficiais que se alongam para longe da planta-mãe em busca de onde gerar brotações-filhas, que enraízam ao tocar o solo úmido e, depois de produzirem um par de folhas novas, podem ser cortadas, como se corta o cordão umbilical de um bebê.

Veja aqui algumas atividades deliciosas para fazer a quatro ou mais mãos, para ver brotar por aí os jardineiros e paisagistas de amanhã.

1. Horta da despensa

plantados jardinagem horta com os filhos - Getty Images - Getty Images
Montar uma mini horta com os pequenos é divertido e educativo
Imagem: Getty Images
Seu filho vai se surpreender ao ver que o dente de alho enraíza e se enche de folhas quando plantado no menor dos vasinhos com terra e deixado no sol da manhã.

A coroa do abacaxi pode até demorar a produzir frutos (mais de ano!), mas enraíza em poucos dias num copo com água e, tão logo o faz, já pode ser plantada em um vaso de uns 20 cm de profundidade, que seja mantido no sol a pino.

Batata-doce gera muitas ramas quando mantida umas semanas em água e, delas, é possível cortar estacas de ramos para fazer mudas da raiz em vasos e canteiros — elas frutificam entre quatro e seis meses.

2. Micro verdes

plantados microverdes - Getty Images - Getty Images
Brotos, raízes em outras plantas viram uma "mini horta" (e podem ir para a salada!)
Imagem: Getty Images
Do termo em inglês microgreens, esse tipo de cultivo vem ganhando adeptos no Brasil porque é MUITO rápido e gera um alimento bastante nutritivo.

Trata-se de colher os brotos de verduras, raízes e outras plantas de horta quando mal alcançaram as folhas verdadeiras, geralmente entre 5 e 10 dias.

Semeadas aos montes em uma bandeja rasa, com substrato úmido, as plantinhas mal viram mudas: assim tão jovens, são chamadas de "plântulas". Possuem uma taxa maior de nutrientes do que a verdura ou cenoura adulta, são crocantes e trazem texturas a saladas, sucos, refogados e outros preparos.

Use bandejinhas de isopor e semeie o pacotinho inteiro de alface, almeirão, escarola, rúcula ou chicória para fazer micro verdes com seus filhos.

3. Colheita precoce

plantados jardinagem com crianças - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Com alguns alimentos você pode fazer a colheita precoce, como cenouras e verduras; com outros, como os tomates, é precico seguir o ciclo normal de colheita
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Quanto maiores as crianças, mais paciência têm de esperar a mágica das plantas acontecer. Um bom jeito de introduzir alimentos com alta taxa de rejeição no cardápio infantil é fazer a colheita precoce, geralmente na metade do ciclo.

Se a cenoura leva quatro meses pra atingir seu ponto de colheita, você vai semeá-la e colher com dois meses: as raízes são pequenas, as folhas, muito macias e o efeito no prato é o de comidinha de boneca.

Além de verduras, couve, vagens e ervilhas-tortas, dá para antecipar a colheita de cenoura, nabo, beterraba e rabanete — não tente colher antes tomate, berinjela, abobrinha, quiabo, jiló e outros legumes, porque eles costumam estar amargos, adstringentes ou ainda menos palatáveis pra molecada.

4. Berçário de suculentas

plantados suculentas - Getty Images - Getty Images
Depois da fase do berçário, em bandejinhas, as mudas devem ser passadas para vasos individuais
Imagem: Getty Images
Com uma bandejinha de isopor cheia de areia dá para multiplicar dezenas de suculentas. Remova as folhas e vá alinhando, uma a uma, superficialmente sobre a areia úmida, sem amontoá-las.

Cuide para que a areia não seque por muito tempo: deve sempre se manter suavemente molhada, nunca encharcada, para estimular o surgimento de raízes pelas pontas das folhas. Em algumas semanas o broto estará visível.

Passe as mudas para vasos individuais quando estiverem com folhas novas do tamanho de uma moeda de R$ 1. Durante todo o período no berçário, mantenha as suculentas em local com claridade abundante, mas sem sol forte. Ao fazer as mudinhas, vá aumentando a insolação aos poucos, até que as mudas consigam ficar quase o dia todo no sol.

5. Terrário

plantados terrário - Bruno Geraldi/Divulgação - Bruno Geraldi/Divulgação
Potes de compota, aquários antigos e outros recipientes de vidro podem ser base de terrários para fazer com os filhos
Imagem: Bruno Geraldi/Divulgação
Quanto maior o vidro de palmito, daqueles de pizzaria, melhor, mas dá para fazer terrários até mesmo dentro de aquários desativados ou grandes vidros com tampa.

Ponha uma camada de terra no fundo, plante marantas de porte pequeno, lírio-da-paz, fitônia e musgo, enfeite com pedrinhas e regue com o mínimo possível de água, sem molhar as folhas.

Feche a peça e mantenha o terrário rente ao vidro de uma janela que nunca receba sol. Ao longo dos anos, as plantas crescerão ali dentro sem precisar de regas extras nem de adubo, já que suas folhas secas serão processadas pelos bichinhos do solo para se decomporem e nutrirem as plantas ali. É uma verdadeira aula de biologia, perfeita para fazer com adolescentes.