PUBLICIDADE
Topo

Nossa Cozinha

Café para "gateiros" em Portugal oferece comidinhas e companhia felina

Ambiente do cat coffee O Porto dos Gatos  - Arquivo pessoal
Ambiente do cat coffee O Porto dos Gatos Imagem: Arquivo pessoal

Adriana Negreiros

Colaboração para o UOL

03/02/2020 04h00

Para um humano comum, trata-se de um café charmoso, situado em uma arborizada e charmosa rua da cidade do Porto, no norte do Portugal. Mas, para os devotos de gatos, é um santuário - ou o paraíso.

Localizado em plena região central da cidade, O Porto dos Gatos pertence à categoria dos chamados cat coffees, pequenas e descoladas cafeterias, algo hipsters, onde os clientes interagem com os gatos. Há similares em Lisboa, Budapeste, Nova York e Tóquio.

Ambiente do Porto dos Gatos em Portugal - Adriana Negreiros/UOL
Ambiente do Porto dos Gatos em Portugal
Imagem: Adriana Negreiros/UOL

No O Porto dos Gatos, pode-se devorar um cookie ou beber uma cerveja artesanal com um felino gordo e peludo aninhado no colo. Ou conectar o computador à rede wifi da casa (a senha, aliás, é miaumiau) e tentar concentrar-se no trabalho diante da cena de gatinhos espreguiçando-se ou amassando pãozinho em cobertores felpudos.

O café foi inaugurado há dois anos por duas portuguesas, Fátima Meireles e Joana Rocha, e uma brasileira, Débora Montez. Fátima abandonou um emprego como auxiliar de veterinária para dedicar-se inteiramente ao novo negócio.

Joana e Débora têm outros trabalhos, mas botam no café boa parte de suas energias, o que inclui resgatar gatinhos abandonados em estacionamentos, terrenos baldios ou lixeiras. "Nunca deixamos nenhum para trás", afirma Joana Rocha, arquiteta.

Aqui, os gatos mandam

Foi Joana quem projetou os espaços do O Porto dos Gatos, de maneira a torná-lo o mais confortável possível para os felinos, todos antigos moradores de rua.

Antes de ir para o café, eles passam por uma temporada de recuperação na Associação Vida de Gato, também comandada pelas proprietárias, ou na casa de uma delas. Somente quando estão saudáveis, vacinados e vermifugados são levados para a nova morada, onde relacionam-se (ou não) com os clientes.

Como gatos que são, detestam abordagens abruptas, carinhos exagerados ou intromissões indevidas em seus espaços.

Por isso, uma das regras da casa é jamais agarrar os bichinhos. São eles quem devem tomar a iniciativa de subir ao colo ou esfregar o corpo nas pernas dos clientes - isso usualmente acontece. Enquanto esta repórter inclinou-se para fotografar um detalhe, um gato preto e pesado pulou em suas costas e se deitou.

Infratores das boas regras de convivência com os bichanos já saíram do lugar com lembrancinhas nada agradáveis, como arranhões e marcas de mordidas.

Clientes alheios à noção de que ali a vontade felina é soberana são chamados à atenção pelas proprietárias. "Isso aqui não é um zoológico", alerta Fátima.

Cat Room na cafeteria O Porto dos Gatos - Adriana Negreiros/UOL
Cat Room na cafeteria O Porto dos Gatos
Imagem: Adriana Negreiros/UOL

Me adota

Na Cat Room, onde os gatinhos passam a maior parte do tempo, a luz é suave e, por maior que seja a tentação de melhorar a qualidade da luz para a foto do Instagram, não se pode usar flash. Melhor tentar a sorte no pátio, banhado por luz natural, para onde os gatinhos têm acesso por meio de pequenos túneis.

Protegido por uma rede no teto, que evita fugas e invasão de outros bichos (como as tradicionais gaivotas do Porto), o pátio também funciona como área de refeições dos clientes.

Todos os gatos do O Porto estão disponíveis para adoção. Atualmente, há doze bichanos à espera de uma família. Fátima, Joana e Débora submetem os pretensos tutores a um rígido processo de seleção. Elas se certificam de que, na nova casa, os animais serão bem tratados. Em dois anos, mais de 80 animais passaram pelo café.

Ah, claro. Além de cultuar os felinos, ali também se pode prestar reverência ao deus da gula. O bolo de café e o petit gat(ô) com banana e bolacha estão entre as delícias da casa. Todos os pratos são 100% vegetarianos.

Vai lá: O Porto dos Gatos. Avenida Rodrigues de Freitas, 93-95, Bonfim, Porto, Portugal. De seg. a sáb., das 10 às 19 horas.