PUBLICIDADE
Topo

Aprenda a entender os detalhes no rótulo de vinho e não erre mais na compra

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL

28/09/2017 04h00

Mais que decorativos, os rótulos precisam ser úteis. No caso dos vinhos, isso é duas vezes mais importante, já que naquele pedaço de papel colado na garrafa estão todas as informações para decifrar qual bebida você está levando para casa. Embora alguns aplicativos já ajudem a decifrar o que está escrito nas letras miúdas, sempre é bom saber o que está estampado no rótulo:

Uvas x regiões

Não existe uma padronização formal dos rótulos, mas há uma divisão de quais informações são mais destacadas, dependendo da região de onde vem a bebida. Os vinhos do chamado "Velho Mundo" (isto é, de produtores europeus) costumam enfatizar mais a localização geográfica (vulgo "terroir"), enquanto os vinhos do "Novo Mundo" (sul-africanos, norte-americanos e sul-americanos) destacam mais as variedades de uva utilizadas. 

Safra

O ano da safra marca quando as uvas do vinho foram colhidas -- o que, por sua vez, define a idade dele. Como alguns vinhos ficam melhores se envelhecidos na garrafa por alguns anos (caso dos italianos Barolo, por exemplo) e outros precisam ser tomados ainda jovens (como alguns tipos de rosés e brancos), saber o ano da safra ajuda o consumidor a fazer uma escolha mais consciente. 

Para os enófilos mais informados, o ano da safra ajuda a desenhar uma descrição mais precisa do vinho: dependendo das condições do clima e das vinhas em um determinado ano, as uvas vão em teoria dar origem a um produto de maior ou menor qualidade. Se a data não aparece no rótulo é porque a bebida foi elaborada com uvas de safras diversas. Isso é comum, por exemplo, com vinhos do Porto ou com alguns tipos de espumantes. 

Origem

Assim como a safra, a definição da região de origem do vinho ajuda a definir para o consumidor qual o perfil da bebida. Quanto mais específicas as informações, mais fácil do consumidor saber o que está levando para casa. É aqui que costumam aparecer os avisos de denominação de origem controlada -- em siglas como AOC ou AOP (nos vinhos franceses), DOC (nos vinhos italianos) ou DO (nos vinhos espanhóis).

Produtor

Assim como as grandes grifes de alta-costura, alguns produtores de vinho têm um peso emblemático, que se reflete no preço final. Mas saber o nome do produtor também ajuda a garantir a qualidade da bebida -- nem sempre um nome regional emblemático, como Chianti ou Bordeaux, garante um vinho bom. 

Graduação alcoólica

Está no rótulo por dois motivos: primeiro, porque o álcool contribui para a longevidade do vinho (quanto maior a graduação, mais tempo ele tende a durar na garrafa, mesmo depois de aberto) e porque define o sabor da bebida (quanto mais álcool, mais a bebida tende a parecer "pesada" no paladar). 

Cru, Grand Cru, Premier Cru

"Cru" significa "vinhedo" -- um vinho classificado como "Grand Cru" indica que vem de uvas de uma região de destaque, com safras constantes e qualidade comprovada. No caso dos vinhos de Bordeaux (França), um "Grand Cru" é a melhor classificação possível para a bebida, seguida pelo "Premier Cru".