PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Histórias do Mar

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mergulhador vira amigo dos temidos tubarões-tigre e trata eles como pets

Jim Abernethy"s Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures
Conteúdo exclusivo para assinantes
Jorge de Souza

Jorge de Souza é jornalista há quase 40 anos. Ex-editor da revista "Náutica" e criador, entre outras, das revistas "Caminhos da Terra", "Viagem e Turismo" e "Viaje Mais". Autor dos livros "O Mundo É Um Barato" e "100 Lugares que Você Precisa Visitar Antes de Dizer que Conhece o Brasil". Criou o site www.historiasdomar.com, que publica novas histórias náuticas verídicas todos os dias, fruto de intensas pesquisas - que deram origem a seu terceiro livro, também chamado "Histórias do Mar - 200 casos verídicos de façanhas, dramas, aventuras e odisseias nos oceanos", lançado em abril de 2019.

Colunista do UOL

27/05/2022 04h00

O americano Jim Abernethy ganha a vida de uma maneira curiosa: fotografando — e acariciando! — tubarões.

E não tubarões como outros quaisquer, mas sim exemplares de uma das espécies mais agressivas, os tubarões-tigre — que ele visita regularmente em um ponto específico do mar das Bahamas, no Caribe, que batizou como "Tiger Beach" ("Praia dos Tigres"), costumeiramente frequentada por muitos tubarões daquela espécie, particularmente famosa pelo seu comportamento violento e imprevisível.

Mas com Jim Abernethy isso não acontece — pelo menos não aconteceu até hoje, embora ele já tenha sido mordido por um tubarão (mas de outra espécie e em outra situação), onze anos atrás.

Até porque, de tanto frequentar aquela espécie de ninho de tubarões nas Bahamas, Jim se tornou velho conhecido de alguns daqueles animais, cujo porte supera em muito o tamanho e peso do próprio americano.

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Basta Jim cair na água, para alguns tubarões-tigres de Tiger Beach se aproximarem em busca de carinho. Ou quase isso.

Show submarino

Jim Abernethy é um misto de mergulhador experiente, fotógrafo submarino premiado (entre outras atividades, colabora frequentemente para a National Geographic), guia de ecoturismo marinho e dono de uma pequena operadora de mergulho recreativo na Florida, nos Estados Unidos, cuja especialidade é — adivinhe só... — levar turistas para mergulhar com os tubarões-tigre de Tiger Beach — quando, então, ele aproveita para exibir o seu espetáculo de total interação com aqueles animais selvagens.

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Feito um gatinho

Não há nada de novo ou inédito em mergulhar com tubarões — milhares de mergulhadores fazem isso, todos os dias.

Mas o que torna a atividade de Jim tão peculiar é que ele não se limita a observar os animais (ou, eventualmente, tocá-los, como fazem os mergulhadores mais ousados), mas sim acariciá-los, como quem brinca com um gatinho.

Onde está o truque?

Os afagos se concentram no focinho e nas partes superior e inferior da mandíbula, pontos onde os tubarões costumam ser ainda mais sensíveis.

Mas este é justamente o "truque" de Jim Abernethy: focinho e arredores da boca são áreas tão ricas em estímulos elétricos nos tubarões, e eles sentem enorme prazer ao serem tocados nestas partes — desde que, é claro, o mergulhador saiba executar os movimentos corretos, como é o caso do americano.

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Ao serem acariciados nestas partes da cabeça, os animais entram em uma espécie de transe sensorial, que neutraliza a ferocidade da espécie e restringe os ataques.

Amigos dos tubarões

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Mas este não é o único truque de Jim Abernethy para transformar enormes tubarões-tigre em animais quase domésticos.

Há, também, a relação de proximidade e confiança que ele desenvolveu com os tubarões que frequentam Tiger Beach, desde que começou a mergulhar ali, quase 20 anos atrás.

Hoje, muitos deles foram batizados com nomes próprios e claramente identificam o americano, apesar da vestimenta completa que usam os mergulhadores.

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Um vídeo impressionante

Entre os tubarões-tigre que frequentam Tiger Beach e são costumeiramente acariciados por Jim Abernethy estão "Tarantino", um macho adulto que segue o americano feito um cachorrinho, em busca de carinho (veja abaixo um impressionante vídeo de um destes encontros), e "Emma", uma fêmea avantajada que se torna tão dócil quanto encontra o mergulhador, que acabou se tornando o tubarão-tigre mais fotografado e filmado do mundo, dada a facilidade para isso.

Na tela do Festival

Jim Abernethy tubarões-tigre - Jim Abernethy's Scuba Adventures - Jim Abernethy's Scuba Adventures
Imagem: Jim Abernethy's Scuba Adventures

Quem quiser, poderá ver Emma na próxima quinta e sexta-feira, dias 2 e 3 de junho, no Auditório Simon Bolivar, do Memorial da América Latina, em São Paulo, durante o Marina Week 2022 — evento aberto ao público que promove debates e discussões sobre a preservação dos oceanos —, uma vez que o americano Jim Abernethy é tema de um dos documentários do CineMarina - Mostra Internacional de Cinema do Mar, que também faz parte da programação e exibirá, pela primeira vez no Brasil, curtas-metragens selecionados pelo Ocean Film Festival, da Austrália.

Na programação, toda dedicada a tocantes filmes que têm o mar como tema, também serão exibidos curtas como a da australiana que encontrou no mar o equilíbrio para lidar com um câncer em fase terminal — mas que não a vitimou até hoje —, o pintor que decidiu transformar o lixo de uma praia do Alasca em obras de arte; e as impressionantes ondas gigantes da Praia de Nazaré, em Portugal, que tanto fascinam os surfistas.

A entrada é gratuita e os filmes começam a ser exibidos às 20 horas.

No sábado, haverá também uma tarde dedicada aos documentaristas marinhos brasileiros, que exibirão outros vídeos.

Para quem nem em pensamento sonha em mergulhar com grandes tubarões, o filme que retrata a peculiar atividade do americano Jim Abernethy é um passatempo garantido.

E impressionante, pelo comportamento surpreendente do animal.

Tubarão que desvendou assassinato

A relação entre homens e tubarões sempre foi tão instigante quanto assustadora.

Que o diga a fama que Jim Abernethy acumulou nos últimos anos, graças aos encontros que faz com os temidos tubarões-tigre das Bahamas.

Mas, no passado, outro exemplar da espécie ficou particularmente famoso por outro motivo — e ainda mais bizarro.

Em 1935, em um parque aquático da Austrália, um tubarão-tigre recém-capturado fez história ao vomitar um braço humano que havia devorado.

E o fato acabou ajudando a desvendar um assassinato — clique aqui para conhecer esta interessante história, que, sem a menor dúvida, também valeria um filme.