PUBLICIDADE

Topo

Alcione lembra episódio de machismo na Mangueira: "Samba sempre foi fechado"

Do UOL, em São Paulo

11/09/2020 15h25

Mangueirense de coração e uma das principais vozes do samba, Alcione diz que já sentiu na pele o machismo desse universo. No programa "Cá Entre Nós" desta segunda (7), ela falou ao apresentador Yuri Marçal sobre um episódio na Estação Primeira de Mangueira que a marcou. Assista acima.

"Quando eu quis formar uma bateria mirim com meninas lá, a velha guarda inteira veio me dizer que isso não seria possível", conta. "O universo do samba é muito machista. É difícil ver mulher em bateria de escola de samba", afirma a cantora.

Ainda assim, os tempos mudaram, diz ela. "Hoje já sei que existe até mulher diretora de bateria. O samba sempre foi muito fechado, mas a força feminina do samba passou a existir com Clara Nunes, Elza Soares, Beth Carvalho, comigo e tantas outras que estão na área".

Na entrevista com o humorista Yuri Marçal, Alcione também do vídeo que viralizou na internet em que aparece cantando "Não Deixe o Samba Morrer" ao lado de autoridades como Raquel Dodge e a ministra Carmen Lúcia e de sua amizade com o vocalista do Guns N' Roses, Axl Rose. Assista à íntegra: