PUBLICIDADE

Topo

Tia Má: "Colocam pessoas negras como incapazes de amar e serem amadas"

Mais Cá Entre Nós
1 | 25
Siga o UOL Mov no

Do UOL, em São Paulo

24/08/2020 16h46

Para Maíra Azevedo, mais conhecida como Tia Má, aquela história de que "o amor não tem cor" é uma falácia. "Sempre teve e sempre foi branco", diz a jornalista, que participou do "Cá Entre Nós" nesta segunda (24). "Sempre questionaram nossas presenças em espaços de afeto", afirma, referindo-se ao povo preto.

"O amor que a gente aprendeu na literatura, no cinema, na TV, foi o amor da pureza, da branquitude. Então quando a gente vai lá e tenta ressignificar que o amor preto cura, que a gente se ama, se gosta, as pessoas questionam", explica ela, que também é apresentadora, humorista e colunista do UOL.

Segundo Maíra, "essa coisa de dizer que você pode se apaixonar por qualquer pessoa" é falaciosa porque, para ela, a sociedade sempre colocou pessoas negras como incapazes de amar e de serem amadas. "Isso é o mais doloroso, porque as pessoas não acreditam na nossa capacidade de amar", comenta.

Na entrevista com Yuri Marçal, ela também falou de um sonho de criança, ser uma das paquitas da Xuxa, que foi por água abaixo por conta do racismo.

No "Cá Entre Nós", Marçal recebe celebridades e influencers para entrevistas e brincadeiras, unindo o formato do talk show ao humor e irreverência pelo qual se tornou conhecido nas redes sociais, onde possui mais de 1,5 milhões de seguidores. O programa estreia novos episódios toda segunda-feira, às 16h.