PUBLICIDADE

Topo

Poucas

O Youtuber Caue Moura entrevista grandes nomes da internet brasileira


Para Emicida, cobrar pessoas pretas pelo fim do racismo não é a solução

Mais Poucas
1 | 25
Siga o UOL Mov no

Do UOL, em São Paulo

24/06/2020 11h17

O rapper Emicida acredita que a luta contra o racismo não deve ser uma luta apenas de quem o vivencia. "Acho, inclusive, que serem cobradas nesses momentos é parte da desumanização a que as pessoas pretas são submetidas", disse o músico durante o "Pouquíssimas", do canal MOV.Show. Assista acima.

Ele se refere às cobranças que o rapper norte-americano Kendrick Lamar recebeu por não ter se posicionado online durante a onda de protestos contra a morte de George Floyd nos Estados Unidos. Ganhador de 13 prêmios Grammy, Lamar é reconhecido como uma das principais vozes de artistas negros na indústria da música.

"Então, de alguma maneira, isso me diz que a nossa vida continua valendo menos, porque nesse momento a gente é lembrado só para ser a bucha do canhão", diz Emicida. Ele respondeu a perguntas que o público enviou para MOV.Show, o canal da produtora de vídeos do UOL, onde também participou do "Poucas", com o youtuber Cauê Moura. Assista abaixo.

Emicida ainda falou sobre como a paternidade influencia na sua música e sobre como é preparar suas filhas para lidar com o racismo. "Minhas filhas me ensinam muito, porque criança questiona as coisas sem filtro", explica. "Elas perguntam por que as pessoas dormem na rua, e você tem que fazer essa questão honestamente para si mesmo e entender quando foi que você permitiu que as pessoas dormissem na rua. E, se você não permite, por que você não se levanta contra isso?".