PUBLICIDADE

Topo

Sessão MOV.doc: Como a revolução cubana ainda afeta o esporte no país

Do UOL, em Sao Paulo

16/05/2020 04h00

Em Cuba, o esporte olímpico está diretamente ligado ao patriotismo e à revolução de Fidel Castro em 1959. Nota-se entre muitos atletas a devoção por Fidel, que realmente sempre sempre associou o esporte do país ao orgulho de ser cubano e assim consolidou uma parcela de admiradores na população. O patriotismo pesa, como mostra esta série documental produzida antes das Olimpíadas de 2016, no Brasil.
Mas também há muitos que reclamam da falta de estrutura que veem como um efeito colateral ruim do regime de Fidel. Graças ao embargo para produtos dos EUA, muitos atletas ficam sem os suplementos que deveriam tomar, por exemplo. Cuba sempre viveu a dicotomia entre os simpatizantes do *regime ditatorial de Fidel, comunista, com embargos e censura. Outros muitos foram embora do país e são considerados desertores. E no esporte esta divisão não é diferente.

*Esta série foi gravada em 2016, quando Fidel já estava afastado do poder, mas ainda vivo e influente.