PUBLICIDADE

Topo

Melhor de MOV: como o PCC virou cartel e Karnal critica grupo 'antivacina'

Do UOL, em São Paulo

23/11/2019 04h00

O UOL lançou nesta semana sob o selo MOV.Doc a série documental PCC: Primeiro Cartel da Capital, que conta a origem da maior facção criminal do país, fundada no Casa de Custódia de Taubaté em agosto de 1993, primeiramente como um grupo de resistência aos maus tratos sofridos pelos detentos nos presídios. A obra mostra, por exemplo, que o estopim para a criação do PCC foi o Massacre do Carandiru, quando 111 presos foram executados pela Polícia Militar após uma rebelião. A série é dirigida pelo cineasta João Wainer.

Trecho do documentário PCC - Primeiro Cartel da Capital. Parte 03 - Cartel - Reprodução / MOV - Reprodução / MOV
Imagem: Reprodução / MOV

Dividido em quatro episódios, o trabalho produzido pelo UOL traz depoimentos de um dos fundadores da facção, Geleião, ainda preso, e também de pessoas que viram de perto a organização criminosa crescer, como o médico Dráuzio Varella, que trabalhou durante anos na extinta Casa de Detenção do Carandiru.

Trecho do documentário PCC - Primeiro Cartel da Capital. Parte 03 - Cartel - Reprodução / MOV - Reprodução / MOV
Imagem: Reprodução / MOV

A obra conta como o PCC se transformou de um grupo que lutava pelos direitos humanos dos presos em uma grande facção voltada para o tráfico, com foco total no lucro, assim que Marcos Herbas Camacho, mais conhecido como Marcola, assumiu seu comando. Ele cumpre pena em Rondônia, para onde foi transferido no começo de 2019. Com a ascensão do ex-assaltante do banco, o PCC passou a dominar penitenciárias e rotas de distribuição de drogas do Brasil para outras partes do mundo.

Além da série documental, MOV também teve nesta semana a visita do filósofo Leandro Karnal ao Poucas para um papo com Cauê Moura. Questionado sobre os grupos que têm desafiado a ciência nos últimos anos, Karnal foi taxativo: "Grupos antivacina deveriam perder o direito de ter filhos". Já com os terraplanistas, o professor gaúcho pegou um pouco mais leve: "Terraplanismo é só um show dentro do circo de horrores da humanidade. Os terraplanistas não vão fazer mal a ninguém. É quase divertido."
E para fechar este resumo, uma questão científica trazida ao mundo prático pela Gabriela Ingrid no Sem Frescura: por que algumas pessoas têm o sovaco mais fedido que as outras?" Agora pegue aquele petisco e aperte o play!

Mov