PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Ex-jogadora de vôlei Erika Coimbra relembra confusão com teste de gênero

Erika Coimbra durante o programa "Fantástico - Reprodução/Globo
Erika Coimbra durante o programa 'Fantástico Imagem: Reprodução/Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/01/2021 21h40

A ex-jogadora de vôlei Erika Coimbra falou ao "Fantástico" sobre ter seu sexo questionado nas Olimpíadas de Sydney, em 2000. A atleta foi apontada como sendo um homem devido a seu alto nível de testosterona no corpo, o que a impediria de jogar com o time feminino.

"Eu fui fazer um teste de gênero, toda a equipe fazia, eu era uma menina, nasci menina, e de repente te dão uma bomba dessas, te avisam que você não passou no teste de gênero", contou Erika.

De acordo com a ex-jogadora o comitê teria sido desrepeitoso com a informação. "Não me preservaram ali, soltaram para a imprensa, não esperaram meu tempo, de ter informação, de refazer o meu teste."

Erika ainda falou que chegou a tentar reverter a situação, mostrando a certidão de nascimento e outras documentações que provavam que ela era uma mulher. "Na verdade eu descobri que era uma doença. Síndrome de Morris", contou. A condição resulta numa maior produção de testosterona no corpo.

Apesar da confusão, Erika conseguiu retomar a carreira no esporte. "De repente comecei a ser a menina mais bonitinha da seleção e as pessoas esquecem, mas a sua dor não é esquecida", relembrou a jogadora.

"Estar falando isso, estar podendo de alguma forma ajudar, informar alguém, é uma forma de também me ajudar. Me libertando de tudo o que eu carreguei a vida inteira sem saber que isso era uma doença e não uma escolha minha."

Atualmente aposentada, Erika já tem planos de ampliar a família: "Eu vim com má formação do útero, então a gente pensa muito em adotar uma criança. Ao invés de eu ter essa tristeza daquela menina que perdeu esse tipo de sonho talvez, de ser mãe naturalmente, eu ganhei uma outra esperança, porque eu sei que uma vida precisa de mim", concluiu.

Vôlei