PUBLICIDADE
Topo

Serginho fala da aposentadoria aos 44: 'As pessoas não deixavam eu parar'

Serginho comemora seu segundo ouro olímpico no vôlei - Getty Images
Serginho comemora seu segundo ouro olímpico no vôlei Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

17/05/2020 12h31

Um dia após ser anunciada a aposentadoria de Serginho, o agora ex-líbero falou mais sobre o tema. Em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo, o bicampeão olímpico explicou sua decisão, aos 44 anos, após uma das carreiras mais marcantes da história do vôlei.

Muito emotivo, ele falou sobre suas grandes conquistas e porque, apesar de algumas tentativas e de momentos em que poderia ter parado, não conseguiu.

"Depois [do ouro] do Rio [em 2016], eu falei: 'Preciso parar, preciso encontrar uma forma de parar com o voleibol'. E desde 2016 as pessoas não deixavam. Elas não deixavam eu parar. Sempre tinha um desafio pela frente. E eu sempre fui um cara que aceita os desafios", disse ele, que estava em um clube de Ribeirão Preto.

Serginho diz que o grande desafio que teve foi em aceitar o desafio das Olimpíadas do Rio, quando conquistou seu segundo ouro. O objetivo era fazer a nova geração ter o gostinho da medalha dourada.

"Teve o anúncio que a Olimpíada seria no Rio de Janeiro, então teve uma pressão grande dos meus filhos pra que eu voltasse. 'Volta pai, o Bernardo vai te ligar. A gente vai pro Rio de Janeiro, você ganha e a gente vem embora'", relembrou o líbero.

"Quando cheguei a Saquarema eu pensei: 'Eu tô aqui de novo...'. Aí eu falei: 'Vou começar a treinar, mas ninguém vai treinar mais do que eu'. E foi uma forma de motivar meus companheiros", acrescentou. Resultado: ouro.

"Missão cumprida. Eles se tornaram os campeões olímpicos e eu deixei a camisa lá [no chão]. Então ali foi algo pessoal, porque eu tinha falado que eles não iam morrer sem ser campeões, era algo que eu queria. Meu choro era de alívio, não era de ter se tornado bi olímpico, era de ter feito com que eles se tornassem", contou ele.

Serginho não deu grandes pistas do seu futuro, mas afirmou que tudo leva a crer que a vida o levará a se manter próximo do vôlei.

Serginho vinha atuando pelo Vôlei Ribeirão, e fez o jogo derradeiro em 7 de março, na última rodada antes de Superliga ser paralisada por conta da pandemia do coronavírus. Seu time venceu fora de casa o Minas, por 3 a 2, de virada.

Vôlei