PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Apático, Brasil perde a final do Mundial de vôlei para Polônia

Polônia comemora ponto em jogo contra o Brasil - Massimo Pinca/Reuters
Polônia comemora ponto em jogo contra o Brasil Imagem: Massimo Pinca/Reuters

Do UOL, em São Paulo

30/09/2018 17h58

Pela segunda vez consecutiva, o Brasil perdeu a final do Campeonato Mundial de Vôlei para a Polônia. A derrota foi por 3 sets a 0 com parciais de 28/26, 25/20 e 25/23. A seleção já havia sido superada pelos poloneses na edição de 2014.

O Brasil não foi o melhor time em quadra em nenhum momento da partida. O único fundamento que os adversários não foram bem foi o saque, mas o Brasil não conseguiu aproveitar os erros, que foram numerosos principalmente no primeiro set. Do lado da Polônia, mesmo quando o saque brasileiro funcionou, o passe chegou na mão do levantador e os atacantes foram muito eficientes. 

Em contrapartida, o time de Renan Dal Zotto apresentou diversos erros no ataque, abriu o bloqueio quando não era hora e falhou em contra-ataques. Ainda que estivesse pior na partida e tenha ficado atrás do placar em quase todo o primeiro set, o Brasil equilibrou no final da primeira parcial. A definição ficou ponto a ponto e os poloneses prevaleceram por 28 a 26.

O segundo set foi amplamente dominado pelos poloneses que abriram vantagem e caminharam folgados para fechar por 25 a 20. Todas as fichas foram lançadas no terceiro set. A esperança era que a possibilidade de perder a decisão faria o Brasil crescer.

Lipe - Massimo Pinca/Reuters - Massimo Pinca/Reuters
Lipe encara bloqueio da Polônia
Imagem: Massimo Pinca/Reuters
Mas a seleção deixou os adversários deslancharem cedo no placar, que logo marcou inesperados 11 a 4. Os brasileiros estavam apáticos em quadra e não pareciam ter forças para esboçarem reação. Mas na hora de fechar os nervos dos poloneses pesaram e o placar chegou a ficar com um ponto de diferença. Ocorre que o Brasil falhou na hora da decisão e perdeu por 25 a 23.

Apesar da derrota, o Brasil fez boa campanha depois de chegar fora do grupo de favoritos. A equipe foi apenas o quarto lugar na Liga das Nações e tinha os desfalques de Maurício Borges e Lucarelli. O começo da campanha parecia confirmar a baixa expectativa com a seleção caindo diante da Holanda ainda na primeira fase.

Mas esta seria a única derrota na competição até o revés sofrido na final. A seleção brasileira conquistou 10 vitórias e terminou em primeiro lugar nas três fases de grupo do Campeonato Mundial de Vôlei. Foi a primeira campanha com bom desempenho de Renan Dal Zotto, que substitui o Bernardinho.

Vôlei