PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Jogadora de vôlei do Fluminense acusa taxista de quebrar seu nariz e dedo

A jogadora de vôlei Luciana Severo alega ter sido agredida por um taxista - Reprodução Facebook
A jogadora de vôlei Luciana Severo alega ter sido agredida por um taxista Imagem: Reprodução Facebook

Do UOL, em São Paulo

22/10/2016 12h08

A jogadora de vôlei do Fluminense Luciana Severo denunciou ter tido o nariz e um dedo quebrado ao ser agredida por um taxista na sexta-feira no Rio de Janeiro. Em um post em sua página no Facebook, a atleta alegou que foi vítima de socos e chutes inclusive depois de cair no chão.

A publicação na rede social contém uma foto em que ela aparece com o sangue no rosto e na mão esquerda. A perícia constatou que houve lesão de natureza leve e o atendimento médico foi feito no Hospital Miguel Couto. A jogadora informou que ficará afastada do esporte até se recuperar.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que o taxista vai responder por lesão corporal leve. A pena máxima é de um ano de prisão. Mas quando a duração é inferior a dois anos, costumam ser aplicadas penas alternativas

Luciana escreveu no Facebook que não sabe o motivo da confusão. A jogadora de vôlei escreveu no post que estava dirigindo, parou num semáforo e quando arrancava o carro teria sofrido insultos por parte do taxista.

De acordo com o relato dela, o motorista teria perseguido o veículo em que estava. Luciana afirmou que em outro sinal vermelho o taxista desceu do carro e ela tomou a mesma atitude para saber o que estava acontecendo. Neste momento, teria recebido o primeiro soco.

O caso foi encaminhado para a Delegacia do Leblon. Uma investigação foi aberta e o taxista liberado.

Vôlei