PUBLICIDADE
Topo

Vôlei


Refluxo e dente do siso podem ter causado arritmia de Vissotto, que passa bem

Vissotto em ação pela seleção brasileira; oposto levou um susto com uma arritmia em quadra  - Wander Roberto//Vipcomm
Vissotto em ação pela seleção brasileira; oposto levou um susto com uma arritmia em quadra Imagem: Wander Roberto//Vipcomm

Do UOL, em São Paulo

19/04/2012 10h57

O oposto Leandro Vissotto está recuperado do susto que passou na última quarta-feira, em um jogo do Campeonato Italiano de vôlei. Depois de deixar a quadra com uma arritmia, o jogador fez exames, foi liberado e disse que o problema pode ter sido causado por outros problemas que ele vem sofrendo.

Segundo a assessoria de imprensa de Vissotto, que não concederá entrevistas por enquanto, o oposto do Cuneo e da seleção brasileira está sofrendo com uma irritação no esôfago que causa uma espécie de refluxo. Além disso, ainda sente dores por conta do nascimento do dente do siso, e por isso está tomando remédios anti-inflamatórios.

A combinação das duas coisas, segundo os médicos que cuidaram de Vissotto na Itália, pode ter causado a arritmia que o tirou de quadra na semifinal do Italiano, em que o Cuneo foi eliminado pelo Macerata. O brasileiro passou a noite no hospital em observação, foi liberado e deve voltar ao Brasil nos próximos dias.

"Nos últimos dias eu estava tendo problemas com uma pequena irritação no esôfago, que provoca refluxo. Além disso, devidamente autorizado pelo médico do clube, tomei anti-inflamatório para aliviar as dores provocadas pelo dente do siso. Segundo o pessoal do hospital de Osimo que me atendeu, esses dois detalhes devem ter ocasionado a aceleração do coração", afirmou o oposto, através de sua assessoria.

Vissotto só deve se apresentar à seleção após cerca de 15 dias de folga. No período, ele fará um novo check-up para se certificar de que não corre nenhum risco. O brasileiro ouviu dos médicos italianos de que foi apenas um problema ocasional, que não afetará de forma alguma a continuidade da sua carreira.

No fim do mês passado, o italiano Vigor Bovolenta, vice-campeão olímpico, morreu em quadra em uma partida da quarta divisão do Campeonato Italiano. Na época, em entrevista ao UOL Esporte, Leandro Vissotto descartou qualquer tipo de negligência por parte dos clubes locais.

“Os times de alto nível mantêm uma rotina de exames mais rígida. Sempre antes de começar a temporada sou submetido a exame de sangue e teste de esforço. Na seleção, ainda fazemos o ecocardiograma”, disse o oposto. Por prevenção, o atleta fará alguns exames quando chegar ao Brasil, embora esteja descartado qualquer problema cardíaco.

"Os médicos fizeram vários exames ontem (quarta-feira) à noite e deixaram claro que está tudo em ordem e eu não tenho nada no coração que me impeça de seguir jogando normalmente. Foi só um susto mesmo. Mas, por precaução e para tranquilizar minha família, vou fazer uma avaliação quando voltar para casa", completou.

Vôlei