PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #240: Palmeiras e Corinthians tropeçam, Galo se aproxima e Flamengo reage

Do UOL, em São Paulo

27/06/2022 11h15

Líder e vice-líder do Brasileirão, Palmeiras e Corinthians pouparam jogadores na 14ª rodada, já que terão jogos pela Libertadores no meio de semana. Com empate corintiano no clássico diante do Santos na Neo Química Arena, o time de Abel Ferreira poderia aumentar a vantagem na classificação, mas também não conseguiu ir além da igualdade contra o Avaí em Florianópolis. Quem conseguiu se aproximar foi o Atlético-MG, que virou diante do Fortaleza no sábado.

No podcast Posse de Bola #240, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a rodada do Brasileirão, os tropeços dos líderes, a aproximação do Galo, a recuperação do Flamengo, que voltou a vencer no Maracanã em jogo contra o América-MG, além da série sem vitórias do São Paulo no campeonato.

Juca Kfouri dá razão ao técnico Vítor Pereira pela decisão de poupar jogadores diante do Santos e considera que o elenco do Corinthians dá mais possibilidades de brigar por títulos no mata-mata do que no Brasileirão, além de o calendário não colaborar para que o técnico escale a mesma base em todos os jogos.

"O Corinthians não tem por que pretender ser campeão brasileiro, não tem elenco para isso, para aguentar a maratona até o fim. Então o Corinthians tem que fazer escolhas e as escolhas do Corinthians passam por torneios mata-mata, onde as coisas podem sorrir para ele. É mais possível o Corinthians se dar bem numa Libertadores ou ir mais longe em uma Libertadores, eventualmente ganhar uma Copa do Brasil, do que ser campeão da maratona do Brasileirão", diz Juca.

"O campeonato do Corinthians é tentar ficar entre os quatro no Brasileirão, a gente está vendo pelo nível do campeonato, que ele tem boas possibilidades para conseguir ficar entre os quatro e tentar beliscar um dos torneios em mata-mata. Portanto, eu acho que o que ele fez, fez com absoluta correção", completa.

O jornalista afirma que a crítica esportiva muitas vezes ignora o fato do calendário nas análises e sobra para os treinadores quando eles optam por preservar atletas e o resultado esperado em campo não acontece.

"Não adianta, é uma coisa incrível, por mais que os treinadores expliquem as agruras que o calendário impõe, as pessoas, principalmente a crítica, trata de não querer entender. Todo mundo aceita racionalmente que o calendário é desumano e absurdo, mas na hora em que os treinadores, por causa disso, poupam jogadores e o resultado não vem, são criticados", diz Juca.

"Tivesse o Corinthians vencido o Santos no sábado 'foi brilhante o Vítor Pereira em colocar o dente de leite'. Como empatou 0 a 0, o 'Corinthians jogou dois pontos no lixo', 'o Palmeiras jogou dois pontos no lixo em Floripa' e por aí afora", completa.

Mauro Cezar Pereira afirma que o técnico Vítor Pereira não está priorizando uma competição, mas escalando o time de acordo com as condições que tem para cada jogo, o que ele já demonstrou saber fazer no período em que está no comando do time alvinegro.

"Ele está vivendo dia um após o outro. Agora é Libertadores, é o Boca, então tem que administrar contra o Santos. Empatou? Ok. Vai tentar colocar o time mais forte possível contra o Boca. Passando pelo Boca, aí ele vai ter o Flamengo, mas depois pegar o Santos, então pode jogar com o Flamengo mais forte e contra o Santos na Copa do Brasil poupando jogadores porque está 4 a 0, ele vai administrando, vai levando da maneira que é possível. Sabe muito bem como fazer o Vítor Pereira, já demonstrou isso na sua curta passagem pelo Brasil", diz Mauro Cezar.

Já em relação ao empate do Palmeiras, o jornalista afirma que o resultado acaba sendo tolerável justamente devido ao resultado do Corinthians, enquanto considera que para o Atlético-MG a vitória de virada diante do Fortaleza foi emocionante, mas com atuação fraca, que dificilmente o colocará na briga se não melhorar.

"O Palmeiras é um caso diferente, um trabalho mais longevo, está há mais tempo, acho que esse empate de ontem não foi bom para o Palmeiras, empatar com o Avaí não é um bom resultado para o Palmeiras em hipótese alguma, mas acho que é tolerável porque o Palmeiras ainda assim tem três pontos de frente, ele queimou um pouco da sua gordura, já estava com uma vantagem muito boa. O empate do Corinthians no sábado deu ao Palmeiras essa possibilidade", diz Mauro.

"Eu acho que o Atlético-MG para competir para valer nas três competições vai ter que jogar mais bola, não gostei do jogo do Atlético-MG contra o Flamengo, apesar da vitória na quarta-feira, achei um time muito retraído, fechado, que não aproveitou momentos em que poderia ter matado o confronto e no sábado a vitória foi emocionante, mas a atuação foi fraca", conclui.

O programa também analisa a vitória do Fluminense diante do Botafogo e o bom momento do Athletico-PR comandado por Felipão e o Internacional de Mano Menezes no campeonato.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.