PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro: Rogério foi ídolo do São Paulo, não é carismático e não faz média

Do UOL, em São Paulo

20/04/2021 04h00

Rogério Ceni assumiu o comando técnico do Flamengo em novembro de 2020, pegou um time que até então não havia liderado o Campeonato Brasileiro e venceu a competição ao atingir a liderança na penúltima rodada. Depois, bateu o Palmeiras nos pênaltis para faturar a Supercopa do Brasil. Um treinador com essa trajetória poderia hoje estar alinhado com os torcedores de seu clube, mas não é o caso.

No podcast Posse de Bola #118, Mauro Cezar Pereira opina sobre o que leva alguns torcedores do Flamengo a terem sempre críticas ao trabalho de Rogério Ceni. Ele aponta fatores como o passado no São Paulo e a própria personalidade do ex-goleiro. Embora veja problemas no time, o jornalista diz que a troca do técnico não resolveria.

"O problema do Rogério é que foi ídolo do São Paulo, não é exatamente um personagem mais carismático, não é um cara que fica dando declarações, que faça média com esse pessoal, é um cara ali na dele, o temperamento dele, isso não é uma crítica e nem um elogio, só uma constatação, ele é um cara meio introspectivo, na dele", diz Mauro Cezar.

"O time do Flamengo tem problemas defensivos ainda, está ainda com uma exposição que é inerente à proposta de jogo. Um time que se propõe a ter a bola, a jogar no campo de ataque, com a bola, brigando para recuperá-la e pressionando boa parte do jogo, ele se expõe, e esses ajustes levam um certo tempo. Concordo, poderia estar melhor, em um estágio mais avançado do que agora, mas isso não é uma coisa que você vai trocar o técnico e vai resolver", completa.

O jornalista diz que o time não se portou bem no derrota para o Vasco, o que considera ser culpa do técnico e dos jogadores, mas aponta a desatenção para gols sofridos no início das partidas.

"Os jogadores do Flamengo foram muito mal na semana passada, o jogo contra o Vasco foi ridículo, atuação ridícula, culpa do Rogério e dos jogadores, claro, aí você pode botar na conta de todos eles. Por que o Flamengo toma gol com 1 minuto contra o Palmeiras e contra o Vasco e com 12 minutos contra a Portuguesa? Os jogadores não têm nada com isso? Zero responsabilidade? Por que? Porque se deseja botar a culpa toda no técnico", diz Mauro Cezar.

"O Flamengo tem que ajustar a defesa, a questão da exposição da defesa que está muito grande e isso passa também por uma certa passividade, todo mundo tem que trabalhar para pressionar e recuperar a bola lá na frente. Se você perde a bola na frente e não briga para recuperar, ela vai chegar macia lá no ataque do adversário e as situações vão acontecer, e a questão dos gols perdidos que é um problema sério, dessa vez, inclusive, nem foram criadas tantas chances contra o Vasco", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube - neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol