PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mauro: Quando a solução do técnico é meter um zagueiro no ataque, assusta

Do UOL, em São Paulo

04/04/2021 04h00

O Atlético-MG foi surpreendido pela Caldense na última quinta-feira, perdendo de virada por 2 a 1 em jogo válido pelo Campeonato Mineiro, e o técnico Cuca colocou nos minutos finais o zagueiro Igor Rabello para atuar como um centroavante em busca do gol de empate, mas não teve sucesso em sua aposta.

No podcast Posse de Bola #113, Mauro Cezar Pereira comenta a estratégia de Cuca que remeteu ao Cucabol dos tempos de Palmeiras, com bolas lançadas na área em momentos de dificuldade, o que considera pouco para o elenco que o treinador tem no Atlético-MG.

"Acho que é bem estranho de fato você ter que apelar para esse tipo de recurso, digamos assim, em um jogo desse, em um campeonato desses no começo de temporada já, mas é bem o estilo, vou encher a área de jogadores com estatura e vou meter bola na área, quer dizer, é o cúmulo da falta de imaginação para um técnico de futebol", diz Mauro Cezar.

"Isso aí já se fazia no século 19, os caras jogavam a bola na área, e o Atlético-MG tem material humano para mais do que isso e acho que nesse hora não só o resultado é importante, o Atlético-MG tem que começar a apresentar um futebol jogo após jogo, acho que esse é o objetivo até pelo nível dos adversários que vai enfrentar", completa.

Mauro afirma que não faz sentido uma estratégia desesperada em uma partida do Campeonato Mineiro, que deveria servir como preparação para as competições mais importantes que o Atlético-MG tem a disputar na temporada.

"Para que serve esse estadual para o Atlético-MG se você for buscar os objetivos do Galo na temporada, que é ganhar campeonatos importantes? Tem que ganhar o Mineiro por uma obrigação, mas além do Mineiro, por obrigação, ele quer ganhar o Brasileiro, quer ganhar a Libertadores, quer ganhar a Copa do Brasil. Tem que ganhar uma taça importante, de preferência talvez o Brasileiro, que ele não conquista desde 1971 e todo esse investimento, mecenato é para isso", diz Mauro.

"Quando você vê que a solução do técnico é meter um zagueiro lá no ataque, é realmente um negócio que assusta, preocupa. E aí você imagina, o Sampaoli faria isso? Eu acho que jamais faria isso, só numa situação de desespero, sei lá, enlouquecido. Mas escancara a diferença até de ideia de futebol dos dois técnicos, eles não têm nada a ver um com o outro, então esse é um negócio meio Frankenstein que o Atlético-MG tem que transformar em um time, um time montado todo a prestação, com mudanças no comando do clube, no comando técnico, na direção de futebol e ao mesmo tempo tendo que fazer a coisa funcionar", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol