PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Posse de Bola #105: Futebol deve parar? Palmeiras x Grêmio e os estaduais

Do UOL, em São Paulo

05/03/2021 13h20

O futebol brasileiro emendou a temporada 2021 mesmo antes de encerrar a de 2020, tendo no domingo a final da Copa do Brasil entre Palmeiras e Grêmio, ao mesmo tempo em que já se disputam os estaduais e a fase preliminar da Libertadores. Enquanto isso, o Brasil tem um crescimento no número de mortos pela covid-19, atingindo a maior taxa de óbitos pela doença desde que começou a pandemia, o que já resultou em protestos como o do técnico Lisca, do América-MG, e do presidente do Santos, Andrés Rueda, pela paralisação do futebol.

No podcast Posse de Bola #105, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira comentam todo o cenário, desde o apelo de Lisca ao contraponto de Renato Portaluppi, além das declaração de Rueda, discutindo se o futebol deve parar ou não no Brasil.

Com opinião contrária à de Arnaldo Ribeiro e Mauro Cezar Pereira, Juca Kfouri é defensor da paralisação do futebol neste momento e que não vale colocar vidas em risco devido aos jogos, mesmo que exista o protocolo de segurança que ele ressalta que é importante, mas que não dá 100% de garantia, vide os casos de jogadores diagnosticados com a covid-19.

"Eu sou pela paralisação por um simples motivo, não acho que seja pegar o futebol como bode expiatório e apenas o futebol parar e o resto continuar. Eu acho que tudo o que não for essencial tem que parar, porque é uma questão de defesa da vida. Acho que ao contrario, jogada de marketing foi feita desde o ano passado quando, para atender este maluco que está em Brasilia, o futebol voltou", afirma Juca.

"Os protocolos do futebol, não é que eles sejam falhos, eu acho que eles são tão seguros como é possível ser seguro em matéria de protocolos diante dessa devastada onda de vírus que nós enfrentamos, com novas cepas e tudo mais. Não há como ser 100% seguro, então, a gente tem visto quantos atletas têm sido infectados e a gente começa a ver mortes entre os profissionais de futebol, já dois treinadores, temos o caso meio esquecido do Raniel, dos Santos, que o fato de ter pego a covid desencadeou uma trombose e até agora ele não está apto a voltar a jogar", completa.

Juca também comenta a declaração de Renato Portaluppi de que o futebol serve para distrações e ajuda a prender as pessoas em casa, mas o jornalista ressalta que o esporte não tem evitado aglomerações e elas vão acontecer pelos torcedores de Palmeiras e Grêmio antes da final e também pelo lado vencedor no domingo.

"O Renato tem razão quando ele diz 'o futebol prende as pessoas em casa, e as pessoas precisam ter distrações'. É verdade, mas não é verdade que o futebol tem evitado as aglomerações, como ele diz. Ao contrário, o futebol tem causado aglomerações. Causará aglomeração em Porto Alegre com bandeira preta se no domingo o Grêmio for campeão e na segunda-feira de manhã voltar para o aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre", diz Juca.

"Certamente, haverá aglomeração em torno do estádio do Palmeiras no domingo, como tem acontecido com a torcida do Corinthians, com a torcida do São Paulo, com todas as torcidas. Então eu acho isso, eu acho que não faz sentido você botar uma vida em risco que seja por causa de um jogo de futebol". completa.

Ele também reconhece a importância das atividades no futebol em meio aos problemas financeiros vividos pelos clubes brasileiros, mas cita declarações de médicos que alertam para o estágio de letalidade que a pandemia deve atingir nas próximas semanas no país para defender a paralisação.

"É claro que eu entendo a necessidade que os clubes têm. Eles já estão às portas da falência antes da pandemia, a pandemia só agravou essa situação, agravou dramaticamente, e agravará ainda mais se de novo o futebol parar, mas é a tal história, é como diz o óbvio, sem vida não haverá economia", afirma Juca.

"Do jeito que as coisas estão indo, nós estamos em um país batendo todos os recordes, eu vejo gente séria como o doutor Miguel Nicolelis, que diga-se de passagem é um fanático torcedor de futebol, palmeirense, dizer que em duas semanas nós vamos chegar no Brasil a 3 mil mortos em um dia. Só vejo depoimentos de médicos que estão atendendo doentes apavorados, dizendo que o pior ainda não chegou, que vai ser uma catástrofe de proporções bíblicas e eu me pergunto que sentido faz. E vocês sabem perfeitamente o quanto eu me alimento de poder ver jogos de futebol", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL