PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Juca: Flamengo-2019 foi momento raro no futebol brasileiro na última década

Do UOL, em São Paulo

13/02/2021 04h00

O Palmeiras fez a pior campanha de um time sul-americano no Mundial de Clubes, perdendo a semifinal para o Tigres, do México, e a disputa de terceiro lugar pra o Al Ahly, do Egito, sendo que na temporada anterior o representante brasileiro fez um bom papel diante do Liverpool na final, na qual acabou derrotado pelo time de Jurgen Klopp.

No podcast Posse de Bola #99, Juca Kfouri afirma que a derrota do Palmeiras preocupa e deixa a impressão de que o Flamengo de Jorge Jesus em 2019 foi um ponto fora da curva no futebol brasileiro, enquanto o nível de jogo no país está em queda já há alguns anos.

"Me preocupa, claro, o nível do futebol brasileiro. Eu considero que aquilo que aconteceu ano passado foi excepcional, porque aquele Flamengo de 2019, ano retrasado, aquele Flamengo de 2019 é um time que jogava um futebol equiparável a qualquer time do mundo, aquele momento do Flamengo é um momento raro no futebol brasileiro, no mínimo, nesta última década do século 21", diz Juca.

"Isso é motivo para nós nos preocuparmos, não é de hoje que a gente diz que o futebol brasileiro está quiçá na segunda divisão, correndo o risco de cair para a terceira do futebol mundial", completa.

O jornalista cita um texto seu na Folha de S. Paulo a respeito da realidade dos clubes brasileiros que disputam o Mundial de Clubes, fazendo um paralelo com o basquete, o que seria um confronto entre o campeão do NBB e o da NBA.

"A gente esperar de um time brasileiro que vá para o Mundial jogar contra o europeu e ganhar do europeu, exceção feita a Flamengo e Liverpool, é o equivalente a querer que o campeão do Campeonato Brasileiro de basquete ganhe do Los Angeles Lakers, não vai ganhar, não vai ganhar do Lebron James, não vai ganhar do Lewandowski, não vai ganhar do Gignac, porque o futebol mexicano está no mesmo nível, os clubes mexicanos, em regra, são mais bem administrados, então é um retrato doloroso do nosso futebol", diz Juca.

"Ou a gente admite isso e passa a tratar isso com realismo, ou nós vamos continuar levando pancada e dizer que não foi um fiasco, que não foi um vexame o que aconteceu no Qatar. Que outro nome dar? Que outro nome dar para o Corinthians ser eliminado pelo Tolima, para o Inter ser eliminado pelo Mazembe? Está bom, você pode dizer ‘não, espera aí, não é fiasco, não é vexame, o futebol mudou’. Sim, o futebol mudou. Os europeus subiram de patamar e os sul-americanos caíram de patamar para um patamar africano, asiático, que é o patamar inferior em matéria de qualidade de futebol", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol