PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mauro: Pelo fato de o Abel ser português tem que ficar comparando ao Jesus?

Do UOL, em São Paulo

05/12/2020 04h00

Os bons resultados no comando do Palmeiras desde a chegada do técnico Abel Ferreira motivaram análises a respeito do trabalho do português e até comparações com o que fez Jorge Jesus durante sua passagem pelo Flamengo do ano passado até o primeiro semestre de 2020, com mais títulos do que derrotas, incluindo as taças da Libertadores e do Brasileirão de 2019.

No podcast Posse de Bola #79, Mauro Cezar Pereira afirma que não se pode comparar no momento os trabalhos dos dois portugueses, um que chegou há pouco tempo e outro que já foi até embora do Brasil, e questiona a que motivo além da nacionalidade se dão as equiparações feitas sobre os dois treinadores.

"Eu já vi gente querendo comparar o Abel Ferreira com o Jesus. Aí não dá, pelo amor de Deus. Não significa que ele não possa repetir os feitos do português, mas é muito cedo para isso”, diz Mauro Cezar.

O jornalista elenca os feitos de Jorge Jesus no comando do Flamengo e cita até a situação atual do clube para falar sobre a importância do treinador português e do nível que ele atingiu no ano passado.

"Como é que você vai comparar o trabalho consolidado de um camarada que chegou aqui, teve dificuldades iniciais, conseguiu classificar o time nos pênaltis e depois ele ganha o Brasileiro horas depois de ganhar uma Libertadores, que atropelou vários adversários importantes com vitórias assim acachapantes", aponta Mauro Cezar.

"Até goleadas, que ganhou, por exemplo, do Palmeiras em casa e fora, que goleou o Corinthians, que goleou o Grêmio, ganhou três vezes do Internacional, que vence uma final daquela maneira e que fez o time praticar um futebol que a gente vê agora a importância dele. Sem ele, olha o que virou o Flamengo, em todos os sentidos", completa.

Mauro Cezar afirma que a questão não é achar se Abel Ferreira pode atingir as mesmas conquistas de Jorge Jesus, mas o fato de o treinador não ter nem tido muito tempo para trabalhar em relação ao compatriota.

"Para você chegar no nível do que fez o Jorge Jesus, é preciso mais tempo e um trabalho espetacular. 'Ah então você está dizendo que o Abel Ferreira não vai fazer?'. Não estou dizendo nada, não tenho bola de cristal, eu estou dizendo que ele ainda não fez e se vai fazer, a gente vai ter que esperar para ver. Então acho que às vezes há uma pressa muito grande", explica.

"Os desafios virão, só acho que é cedo para tanta, essas comparações. Por que tem que comparar? Só porque o dois são portugueses? É isso que eu não entendo, porque o cara é português, tem que ficar comparando, compara o Sá Pinto então, ou então todo técnico argentino que chegar vai ter que ser comparado ao Sampaoli? O Coudet tinha que ser comparado ao Sampaoli a cada fim de semana então, a cada rodada, isso é uma bobagem", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol