PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #74: SPFC x Flamengo, VAR, Galo líder, Palmeiras e Grêmio sobem

Do UOL, em São Paulo

16/11/2020 12h24

Com o Flamengo vindo de um tropeço em casa pelo Brasileirão no fim de semana, além de ter aumentado a lista de possíveis desfalques, enquanto o São Paulo venceu o Fortaleza fora de casa, o confronto entre os dois clubes volta a ser o assunto na semana que terá a definição dos semifinalistas da Copa do Brasil, assim como a mudança de mãos da liderança no Brasileirão, com o Internacional de Abel Braga perdendo para um Santos cheio de desfalques devido à covid-19 e o Atlético-MG de Jorge Sampaoli retomando a ponta ao bater o Corinthians.

No podcast Posse de Bola #74, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam as condições nas quais chegam as duas equipes para o confronto que coloca mais uma vez frente a frente os técnicos Fernando Diniz e Rogério Ceni, uma disputa que tem sido frequente na temporada atual, além dos demais assuntos do futebol braseiro em uma semana que também tem o último jogo da seleção brasileira no ano.

Para Mauro Cezar Pereira, há um exagero da torcida do Flamengo nas críticas ao time de Rogério Ceni pela atuação no empate do fim de semana contra o Atlético-GO, e ele cita os erros individuais de jovens atletas como ponto que foi decisivo para que o time não tivesse resultados melhores nos dois jogos sob comando do novo técnico.

"Eu acho que novamente está havendo uma histeria maluca de parte da torcida, já fazendo avaliações sobre o trabalho do técnico em dois jogos, o cara treinou pouquíssimos dias, foi uma atuação muito fraca, muito ruim, e isso eu acho que vai acontecer, é um começo, ele está tentando recolocar o time nos eixos", avalia o jornalista.

"A atuação contra o São Paulo foi boa, a de sábado foi ruim, mas não fosse, até usei essa expressão que eu acho que é forte, mas ela se encaixa, embora seja involuntária, é uma sabotagem o que os garotos do Flamengo fizeram com o trabalho do Ceni nos dois primeiros jogos. Involuntariamente, o Hugo e o Lincoln sabotaram o time do Flamengo. As falhas que eles cometeram, elas são absolutamente inaceitáveis", completa.

Mauro Cezar também pontua a reação de Rogério Ceni, que foi diferente do antecessor Domènec Torrent, que chegou a fazer críticas a jogadores após atuações ruins em seus primeiros jogos, enquanto o atual treinador não levou a público suas queixas pelos erros individuais.

"Internamente deve ter chamado a atenção dos dois, do Hugo e do Lincoln, como tem que ser no caso de um treinador que acabou de chegar e que não caiu, apesar das situações que devem ter surgido, porque dá raiva, o cara deve ter ficado furioso, no erro do Domènec, que logo no segundo ou terceiro jogo já estava meio que criticando a equipe publicamente, o que é meio caminho andado para você perder o elenco, você começa a gerar antipatia. O Rogério segurou a onda, devem ter conversado lá dentro com os caras", diz o jornalista.

"Esse negócio de que é garoto, garoto é no sub-15, joga no profissional, está incorporado ao elenco, ganha salário de profissional, tem que ser cobrado sim, porque já é adulto e está jogando no meio dos adultos, não é brincadeira aquilo ali. Não significa encerrar a carreira de ninguém, emprestar o jogador, mandar embora, nada disso, mas a crítica tem que ser veemente independentemente da idade, porque aquilo ali é displicência dos dois", conclui.

O programa também analisa o momento atual de Fernando Diniz no São Paulo, a pressão maior que o time tem para avançar na competição do que o Flamengo.

"Desde o início a Copa do Brasil não é nem de longe o torneio principal do Flamengo, é o terceiro torneio. É claro que financeiramente é importante, o Flamengo se acostumou a ganhar tudo, ser eliminado causaria um impacto, mas não é uma coisa destrutiva", diz Arnaldo.

"Essa partida de quarta-feira, até por ser no Morumbi e o São Paulo jogar com vantagem, tem um peso gigantesco para o São Paulo", conclui.

A seleção brasileira de Tite, os convocados de última hora devido a lesões e casos de covid-19, e a briga pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro também são temas comentados pelos jornalistas no episódio.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.