PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mauro: Fortaleza não é só o Rogério Ceni, é um clube que faz mais com menos

Do UOL, em São Paulo

28/10/2020 04h00

O Fortaleza vendeu caro a eliminação para o São Paulo na Copa do Brasil, perdendo o confronto apenas nos pênaltis após o empate com dois jogadores a menos no Castelão e novamente a igualdade no Morumbi, quando estava perdendo por 2 a 0. O time treinado por Rogério Ceni tem resultados de destaque na temporada, com vitórias sobre Atlético-MG, Internacional e Palmeiras, e uma série invicta de 12 jogos.

No podcast Posse de Bola #68, Mauro Cezar Pereira afirma que Rogério Ceni tem seus méritos, mas que o Fortaleza hoje conseguiu se estruturar além do trabalho do técnico mediante a todas as dificuldades que tem nas questões financeira e de distância para a maior parte de seus adversários, localizados nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

"O Fortaleza hoje não é só o Rogério Ceni, não, é um clube que está organizado. A ida do Rogério é um sinal de uma reestruturação de um clube do Nordeste que luta com dificuldades muito maiores do que os dos Sudeste, por razões óbvias, menor faturamento, está em um estado que tem um PIB muito menor, a distância, então a logística é sempre muito ruim porque tem que jogar no Sul do país toda hora, então tem menos grana, estava na terceira divisão há poucas temporadas", diz Mauro Cezar.

"Sobe para a segunda, contrata o Rogério, vai para a primeira, vai à Sul-Americana, ganha a Copa do Nordeste, bicampeão estadual, não briga mais contra rebaixamento, embora eu ache ainda que o Fortaleza tem que ter como objetivo não cair. E aí vai lá, ganha do Atlético-MG com menos um jogador, ganha do Internacional, empata com o São Paulo em casa em um jogo em que teve chance até de liquidar, ganha do Palmeiras e agora o São Paulo só elimina nos pênaltis virando um 2 a 2 que estava 0 a 2, são vários feitos", completa.

O jornalista ressalta que, assim como o rival Ceará, o Fortaleza tem conseguido se organizar fora de campo de uma forma como clubes como Botafogo, Vasco e o Cruzeiro, localizados em centros com maior poderio financeiro, não conseguem.

"Rogério é o principal nome? Sem dúvida! Mas acho que o clube também está oferecendo condições e me parece que a gente tem que olhar para o Fortaleza também, acho que o Ceará a mesma coisa, como clubes que conseguem mais com menos. O Vasco consegue isso? Não consegue. O Botafogo consegue? Não consegue. O Cruzeiro eu nem vou falar, o Cruzeiro hoje é um time da segunda divisão, enterrado lá embaixo na tabela de classificação", diz Mauro Cezar.

"Você vê o Fortaleza conseguindo fazer coisas interessantes, acho que tem aí um trabalho do clube também e o técnico que consegue fazer mais com menos, agora, eu não consigo separar, quando eu vejo um confronto desse, perdeu para o Flamengo no Maracanã no último lance, inclusive, o Fortaleza, estava empatando o jogo, são vários resultados interessantes contra times que são muito mais fortes, com investimento muito maior", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol