PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juca: "Palmeiras perdeu o medo de perder e a diferença técnica aparece"

Do UOL, em São Paulo

27/10/2020 19h19

Após demitir o técnico Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras ainda não conseguiu a contratação de um substituto e tem atuado sob o comando do interino Andrey Lopes, o Cebola, que esteve à frente do time na derrota para o Fortaleza e nas vitórias por 5 a 0 sobre o Tigre, da Argentina, pela Libertadores, e 3 a 0 contra o Atlético-GO, pelo Brasileirão.

No podcast Posse de Bola #68, Juca Kfouri afirma que o fato de o time ter feito oito gols em dois jogos mostra uma mudança na postura do Palmeiras após a saída de Luxemburgo, com o time jogando mais sem medo de perder e com a diferença técnica prevalecendo em relação aos adversários.

"O fato é o seguinte, o Palmeiras fez oito gols em dois jogos. Está bom, o Tigre é um tigre desdentado, o Atlético-GO veio da segunda divisão, deu dois gols de presente. Fez oito gols em dois jogos, por que? Porque perdeu o medo de perder e está jogando para ganhar", diz Juca.

"E aí a diferença técnica é tão grande, que ela em determinado momento aparece. É o Wesley, é o Luiz Adriano, enfim, e agora eu acho que está na mão do Palmeiras mesmo, acho que o Palmeiras volta a poder ser protagonista, agora, no Brasileirão é muito complicado", completa o jornalista.

Mauro Cezar: Palmeiras precisa definir o que quer

Mauro Cezar Pereira aponta o fato de o Tigre ser um time da segunda divisão na Argentina e o Atlético-GO ter perdido o técnico Vagner Mancini para o Corinthians como fatores a considerar após as duas vitórias seguidas do Palmeiras, e que para brigar por títulos seria preciso uma mudança promovida pelo interino na forma de jogar.

"Eu acho que o Palmeiras jogando a bola que vinha jogando com o Luxemburgo não vai protagonizar nada. A não ser que os interinos lá consigam fazer uma transformação", diz Mauro Cezar.

O jornalista analisa o sorteio que deixou o Palmeiras em uma tabela favorável na Libertadores e cobra que a diretoria se defina em relação ao treinador.

"Teve a sorte de pegar agora o Delfín, deve se classificar, mas não adianta, tem uma hora que o caldo vai entornar se for só essa bolinha aí, tem que jogar mais bola para poder chegar a algum lugar, não adianta você chegar. 'Ah porque vai chegar na semifinal'. Talvez chegue na semifinal porque encontra um caminho muito mais facilitado, mas em algum momento vai ter que enfrentar um time mais forte", diz Mauro.

"O Palmeiras tem que definir o que ele quer da vida. Vamos com esse pessoal que está aqui? Ok. Agora, é muito desgastante para o clube ter toda hora um nome envolvido em especulações. Já falaram do Quique Setién, do Gordiola, do Heinze, agora surgiu o nome do Beccacece, o Pizzi também. Muitos são cavadas, porque o clube está numa situação, os dirigentes permitiram ficar em uma situação que permite a qualquer empresário ou qualquer pessoa próxima a um técnico, que tenha interesse nisso, vazar nomes para valorizar os caras", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol