PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #53: Diniz, Nunes e Luxa pressionados, e o campeão Fla voltou?

Do UOL, em São Paulo

04/09/2020 12h17

A rodada sétima do Brasileirão teve o São Paulo com bom início de jogo, mas derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG, o Palmeiras jogando mal em seu estádio e conseguindo um empate nos instantes finais contra o líder Internacional, o Corinthians vencendo mesmo sem boa atuação, enquanto o Flamengo de Domènec Torrent deslanchou com 5 a 3 sobre o Bahia, resultado que custou o cargo a Roger Machado. Enquanto os técnicos estrangeiros se destacam, a pressão atinge os treinadores do trio paulistas e até mesmo Renato Portaluppi no Grêmio.

No podcast Posse de Bola #53, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a situação dos treinadores neste início de Brasileirão, quem está entregando menos entre Fernando Diniz, Tiago Nunes e Vanderlei Luxemburgo, se é possível esperar o Flamengo de volta à briga pelo título, além das novas polêmicas sobre o VAR.

Para Juca Kfouri, na comparação entre os trabalhos dos três técnicos dos clubes da capital paulista, embora nenhum esteja bem, Vanderlei Luxemburgo é quem tem as melhores condições de apresentar um futebol melhor devido às peças que tem em seu elenco. Ele aponta ainda que, embora tenha perdido por 3 a 0 para o Atlético-MG, o São Paulo de Fernando Diniz criou boas oportunidades e poderia ter aberto vantagem.

"Eu diria que quem deve mais é quem está em melhor situação, é o Vanderlei Luxemburgo, porque é o que tem o elenco mais estrelado na mão e é aquele que não te dá meio minuto de esperança de um bom futebol", diz Juca.

"Foi entusiasmante o começo do jogo do São Paulo, porque soube sair da pressão do Galo, aquela pressão que o Sampaoli faz e depois impôs ao time do Sampaoli, como também é frequente que adversários dos times do Sampaoli façam, se impôs de forma tal que se tivesse um pouquinho de sorte, não é que fazia 2 a 0, fazia 3", completa.

Diniz pode ter pressão com jogos da Libertadores

Já para Arnaldo Ribeiro, o técnico do São Paulo não tem como ser defendido, tal qual Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras, e aponta uma sequência que pode ser difícil para Fernando Diniz, com jogos na Libertadores e Campeonato Brasileiro.

"Diniz tinha um crédito até o jogo contra o Corinthians, renovou esse crédito, só que agora em setembro é Libertadores, é jogo fora de casa contra o Inter, é River Plate, é LDU e aí qual vai ser o saldo do Diniz em setembro? Um ou outro jogo bom? 25 minutos aqui e acolá? Quantos resultados importantes? Quantos resultados fora da curva? Não dá nenhuma consistência", diz Arnaldo.

"Diferentemente dos dois rivais do São Paulo, não é o caso que ele assumiu em janeiro e pegou a pandemia, ele vai fazer, se chegar até lá, um ano no comando do São Paulo em 26 de setembro e tem que ser cobrado e analisado por um ano de trabalho em que o estágio continua exatamente o mesmo", completa.

Nenhum dos técnicos do trio paulista dá bons sinais

Mauro Cezar Pereira não vê sinais positivos em nenhum dos três trabalhos dos técnicos de Corinthians, Palmeiras e São Paulo, além de lembrar que os resultados do time de Diniz anteriores ao clássico do último domingo no Morumbi eram diante de adversários mais fracos e com problemas que acabaram se mostrando com a demissões dos treinadores.

"Eu não vejo nenhum dos três com um sinal positivo. O Tiago já deveria estar num estágio bem mais avançado com o Corinthians, o time não é o melhor elenco, mas não é ruim também, não. Está longe de ser um dos piores. Então são três trabalhos que até aqui deixam a desejar por diferentes razões", declara o jornalista.

"Os três que o São Paulo venceu até aquele momento, empatou e venceu, logo depois trocaram de técnico, e depois ganhou do Corinthians que talvez tenha sido o resultado mais expressivo, um jogo muito ruim, que o São Paulo também não produziu", ressalta Mauro.

Flamengo mostra que pode ser dominante novamente

Já o Flamengo, que venceu sua segunda partida seguida sob o comando do técnico Domènec Torrent, já deu mostras diante do Bahia que pode chegar novamente com sobras na disputa pelo título brasileiro, na opinião de Juca Kfouri.

"O Flamengo continua favoritaço, o Flamengo vai ser campeão com uma boa vantagem, apesar da falta do seu 12º jogador, da sua torcida, que faz muita falta ao Flamengo, mas ele vai se adaptar a essa ausência e vai levar esse campeonato nas costas, não tenho a menor dúvida disso", afirma o jornalista.

O Posse de Bola também analisa o VAR, as atuações do líder Internacional sob o comando do argentino Eduardo Coudet, o mau início do Grêmio de Renato Portaluppi no Brasileirão, a demissão de Roger Machado no Bahia, o protagonismo dos estrangeiros desde o ano passado e quem são os jovens técnicos brasileiros que podem se destacar.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.