PUBLICIDADE
Topo

"Futebol feminino tem vida própria. Não é preliminar", diz dirigente da FPF

Do UOL, em São Paulo

18/07/2020 04h00

Com o crescimento da visibilidade do futebol feminino desde a última Copa do Mundo e a obrigatoriedade dos clubes de terem seus times femininos para poderem disputar a Série A do Campeonato Brasileiro e a Libertadores, há torcedores que consideram de ver os jogos das mulheres como preliminar das competições masculinas, mas essa hipótese está descartada pelo presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, o dirigente destaca o trabalho que vem sendo feito por Aline Pellegrino, diretora de Futebol Feminino na entidade, se coloca contrário ao futebol feminino ser colocado como preliminar e também à obrigatoriedade de os clubes do masculino criarem times para as mulheres.

"Estamos evoluindo, nós fizemos a primeira competição de categorias de base do Brasil sub-17, fizemos aqui, sub-15, fizemos festivais sub-12, fizemos peneiras de futebol feminino, o campeonato de futebol feminino tem mais de 27 anos aqui em São Paulo, vamos continuar fazendo, mas o futebol feminino tem vida própria, o nosso projeto é fazer ele existir independente do masculino, é para isso que elas trabalham e é isso o que elas merecem. Nós fizemos duas finais do paulista ano passado, uma no Morumbi e outra na Arena Corinthians, levamos mais de 50 mil pessoas nos dois jogos, uma emoção, uma festa", afirma Carneiro Bastos.

"Ser obrigatório me incomoda, tudo o que é goela abaixo, não é o que eu mais desejo, então tem clube que não gosta de fazer aquilo, em compensação, tem clubes e associações que querem fazer o futebol feminino, nós estamos organizando isso, estamos possibilitando essas associações menores se vincularem à Federação, participarem de competições, então tem o Caldeirão de Piracicaba, a Inter de Franca, o Realidade Jovem de São José do Rio Preto, nós temos times de vários locais que estão começando cada vez mais a aumentar", completa o dirigente.

O presidente da FPF reforça que é preciso investir no futebol feminino e que desde a última edição da Copa do Mundo se mostrou uma demanda alta de interesse, mas reforça que pretende manter o trabalho do futebol feminino separado do masculino.

"O futebol feminino é uma realidade, ele vai acontecer, mas não vai ser em preliminar de jogos, ele vai ter vida própria, ele vai caminhar com as suas próprias pernas. A Fifa já notou, a televisão já notou, quando é que a gente iria imaginar que ia ter o futebol feminino na TV aberta? Já tivemos e nós temos uma transmissão enorme, e um interesse enorme, está crescendo, está melhorando, a gente deve isso às mulheres, às atletas, à Aline, a um grupo de pessoas que investem, que comandam e que acreditam nisso, nós vamos longe com o futebol feminino", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda semana em duas edições semanais, na terça-feira, às 14h, e na quinta-feira, às 18h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.