PUBLICIDADE
Topo

Fernando Diniz equipara Tite a Jorge Jesus: "Também daria certo lá fora"

Do UOL, em São Paulo

17/06/2020 04h00

Elogiado por fazer com que seus times joguem diferente no futebol brasileiro, propondo mais o jogo e tendo mais a bola, Fernando Diniz equipara o português Jorge Jesus, campeão brasileiro e da Libertadores com o Flamengo no ano passado a Tite, atual técnico da seleção brasileira.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, Diniz elogia Jesus, assim como Sampaoli, mas ressalta que ele faz sucesso por ser bom técnico, independentemente de ser europeu, destaca que há outros técnicos bons no futebol brasileiro e que Tite também faria sucesso na Europa.

"Os caras trouxeram o Jorge Jesus, não é que trouxeram um técnico de fora e deu certo, trouxeram um cara muito bom, do mesmo jeito que se você levar o Tite com os conceitos que ele tem para treinar um time fora, a tendência de dar certo é grande também, porque é um excelente técnico, então não é a questão se tem uma postura diferente em relação ao jogo, isso não importa, vai dar resultado o cara que é bom, é bom naquilo que ele faz", afirma Diniz.

"O Tite é bom, o Jorge Jesus é bom, o Sampaoli é outro que é ótimo, então para o futebol brasileiro foi ótima a vinda dos dois. Eu acho que desse nível tem que vir, tem que estar com as portas abertas porque qualifica, isso te estimula, você vê o que os caras estão fazendo, o que você pode melhorar, você vai jogar contra e você pensa 'o cara faz isso', vai melhorar a qualidade dos treinadores, mas isso não vai na contramão que a gente teve grandes treinadores aqui e tem", completa o treinador são-paulino.

Diniz não viu defesa a Jesus em derrotas iniciais

Fernando Diniz também cita o período inicial de Jorge Jesus no Flamengo e ressalta a importância de a diretoria ter dado respaldo ao técnico depois de resultados como a derrota para o Bahia por 3 a 0 pelo Campeonato Brasileiro e para o Emelec na Libertadores, antes de conseguir a classificação para as quartas de final nos pênaltis.

"Eu estava no Fluminense no Rio, quando perdeu o jogo, acho que foi meio sequencial ou muito próximo, perdeu na Bahia de 3 a 0 para o Bahia e depois perdeu para o Emelec no Equador. Existiu uma pressão e não existia uma voz para defender o Jorge Jesus", diz Diniz.

"Ele poderia ter perdido aquela vaga para o Emelec na Libertadores no Maracanã, que eles ganharam nos pênaltis, a história não seria a mesma e o conceito que a gente tem sobre ele não seria o mesmo, o resultado, esse negócio do resultado é uma coisa que ele é importante, mas ele não pode embaçar demais a nossa vista, porque se ele não tivesse ganhado a Libertadores, ele não seria menos bom do que ele é só porque ele ganhou", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda semana em duas edições semanais, na terça-feira, às 14h, e na quinta-feira, às 18h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.