PUBLICIDADE
Topo

Silvio Luiz: 'Chamei o Edmundo de cafajeste e não narrava o nome dele'

Mais Os Canalhas
1 | 25
Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

28/05/2020 19h00

O programa Os Canalhas ganhou a partir de hoje uma edição extra e o entrevistado foi Silvio Luiz, narrador que trabalha atualmente pela Rede TV e que também já foi árbitro de futebol, repórter de campo, além de fazer uma participação até no cinema. Aos jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, ele conta histórias de sua carreira, como o dia em que chamou Edmundo de cafajeste em uma transmissão, antes de passar a não falar mais o nome do jogador.

Edmundo era um dos principais jogadores no dia em que foi promovido o Jogo da Paz entre Palmeiras e São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro de 1994, quando houve uma manifestação com participação das torcidas organizadas contra a violência nos estádios, mas dentro de campo o jogo foi uma batalha, com Edmundo levando o cartão vermelho depois de uma entrada violenta em Euller, que foi seguida de agressões a Juninho Paulista e André Luiz, com o jogo tendo uma confusão generalizada e seis jogadores expulsos.

"Programaram soltar pombas antes do jogo. Abriram os caixotes e saiu pomba voando, aí o Edmundo resolveu fazer uma cafajestada. Eu estava transmitindo e falei 'você é um cafajeste, esse rapaz aí é um cafajeste'. Eu briguei com ele, briguei assim, quando eu transmitia o jogo eu não falava o nome dele, falava 'olha o 7 aí'", conta Silvio.

Depois de chamar o jogador de cafajeste, Silvio Luiz recebeu a ameaça de processo judicial, que nunca ocorreu, mas conta que guardou recortes de jornal para se defender.

"Dessa briga aí houve uma promessa depois de ele me processar. Mais ou menos na mesma época, o Palmeiras foi jogar no Equador e o Edmundo chutou a câmera de um rapaz que estava no chão. Então o advogado que eu contratei, ele junta todos os recortes de jornal do Edmundo, deu 2,5 kg e ele nunca me processou", completa Silvio.

Silvio Luiz critica ex-jogadores como comentaristas

Edmundo virou comentarista de futebol depois de deixar os gramados e atualmente trabalha no Fox Sports, assim como outros jogadores de futebol também ganharam espaço nas transmissões esportivas, ponto criticado por Silvio Luiz, que cobra que os ex-atletas deveriam obter diploma antes de atuarem nos comentários.

"O que eu acho muito estranho é esse pessoal que antigamente jogava, hoje é tudo comentarista e muitos jornalistas não estão trabalhando, muitos até com faculdade de jornalismo, tudo, paga, diploma. Eu acho que eles deviam pelo menos fazer uma faculdade para ver como que é, como é que se fala, porque tem muitos deles que a gente ouve que coitado do Camões cada vez que ouve aquilo, ele se revolta no túmulo. Rui Barbosa então não quer nem saber", diz Silvio Luiz.

"O que eu não gosto é quando você tira um para por o outro, quando você tira um cara que fez uma faculdade, que a mãe pagou uma faculdade, que levou um diploma, e o outro que terminou uma carreira e vem ensinar a gente. Alguns ensinam, alguns não ensinam, é por isso que eu acho que jornalista tem que ter diploma", conclui.

O narrador também conta na entrevista sobre os perrengues em seu período de árbitro, a amizade com jogadores e técnicos de futebol nos anos 70, como ele virou narrador de futebol no rádio e a frustração por não ter narrado sua décima Copa do Mundo em 2010.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda semana em duas edições semanais, na terça-feira, às 14h, e na quinta-feira, às 18h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.