PUBLICIDADE
Topo

Peres: "Flamengo foi ousado, mas uma pandemia coloca todos de joelhos"

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 04h00

A pandemia do novo coronavírus afeta empresas, governos e não é diferente com os clubes de futebol, que já se preparam para problemas financeiros devido ao tempo de inatividade e a falta de receitas. Sem jogos para que sejam transmitidos pela TV, não recebem a verba dos direitos de transmissão e não arrecadam com venda de ingressos — o que deve durar mesmo no retorno do futebol, já que os jogos devem ocorrer com portões fechados se adotado o mesmo protocolo da Alemanha.

Em entrevista aos jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana no programa Os Canalhas, o presidente do Santos, José Carlos Peres, diz que os clubes precisarão se unir para que consigam superar as consequências da pandemia e que nem mesmo o Flamengo se sobressai numa situação como a atual.

"O que nós precisamos é de autossustentabilidade e isso a gente só vai conseguir a autossustentabilidade se o futebol estiver unido, se os 20 clubes estiverem juntos, da Série A, e os 20 da Série B. Para que você faça uma competição tipo liga na Série A e na Série B, é a única salvação, não tem outra. Não tem duas, é uma saída", diz Peres.

"O Flamengo foi ousado, foi campeão brasileiro de forma merecida, mas, ao mesmo tempo, você vê, uma pandemia dessa coloca todo mundo de joelhos igual, porque a fonte é a mesma. Se a fonte morre para o Santos, vai morrer para eles também. Morre para todo mundo", completa o dirigente.

Corte nos salários

O presidente do Santos revela na entrevista que avisou aos jogadores que haveria cortes logo que a Federação Paulista de Futebol anunciou a suspensão do Campeonato Paulista e citou o Palmeiras para reforçar que nenhum clube conseguirá passar pelo período de pandemia sem precisar fazer cortes.

"A gente estava vendo lá atrás, porque aconteceu na Itália, aconteceu na Espanha, aconteceu na França, aconteceu na China, em todos os locais, então a gente sabia que iria chegar aqui. E eu falei para os jogadores uma frase: esta é uma conta que terá que ser paga em conjunto, todo mundo vai perder", diz Peres.

"Não adianta eu vir aqui e dizer 'olha, o clube tem sustentação para um ano, isso não é correto, nós não temos e ninguém tem, ninguém, nenhum clube tem. Muito se fala, o Palmeiras tem a Crefisa, mas também tem suas dificuldades também. É verba, ele tem um orçamento. Ninguém te dá um dinheiro por um produto que não é entregue", completa o dirigente.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.