PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #31: Clubes enforcados demitem e querem a volta do futebol

Mais Posse de Bola
1 | 25
Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

04/05/2020 17h29

No podcast Posse de Bola #31, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam as ações dos principais clubes durante a pandemia do novo coronavírus, com a redução de salários de jogadores e comissão técnica do Palmeiras, as demissões de funcionários no Flamengo, além dos cortes financeiros em São Paulo e Corinthians. E também do movimento de federações e clubes apressando o retorno do futebol.

O Palmeiras foi o clube que mesmo com a redução em 25% nos salários de jogadores, comissão técnica e dirigentes, não demitiu e comunicou de forma oficial os cortes antes que fossem revelados nos bastidores do clube, o que é apontado como um exemplo em termos de comunicação, mas os jornalistas citam também a dependência da patrocinadora reforçada no balanço financeiro publicado pelo clube.

"O Palmeiras está passando ileso? Não está passando ileso. No balanço superavitário que o Palmeiras divulga, tem a questão do aumento da dívida do Palmeiras para com a Crefisa, seu principal patrocinador nesse último período. Um aumento significativo. Não é uma dependência, mas é quase", afirma Arnaldo Ribeiro.

"Essa situação estável do Palmeiras está muito ligada a um patrocinador forte, que tem pretensões políticas e que enquanto estiver lá com essas pretensões políticas, vai deixando a coisa sem nenhum rombo, sem nenhum buraco, porque tem essas pretensões", completa o jornalista.

Juca Kfouri elogia o Palmeiras por evitar as demissões e os cortes no futebol feminino e nas categorias de base, mas também cita o custo político que isso tem dentro do clube.

"O Palmeiras se equilibra graças a esse mecenato, mecenato com interesses políticos porque é óbvio que o Palmeiras tem um patrocínio acima dos valores de mercado, como a própria patrocinadora admite sem contestar", afirma Juca.

"É uma situação, o Palmeiras teve a fortuna de encontrar uma patrocinadora com esse objetivo, de ser presidenta do Palmeiras, eventualmente de ser dona do Palmeiras. Age como se fosse, o presidente do Palmeiras não gosta, mas com muita frequência eu o trato como rainha da Inglaterra, porque eu não tenho dúvida sobre de fato quem manda na gloriosa Sociedade Esportiva Palmeiras", completa.

O episódio também aborda o fato de o Corinthians não ter publicado o seu balanço, o São Paulo ter apresentado dificuldades sem a venda de jogadores em 2019, além da movimentação das federações e de clubes como Grêmio e Internacional se esforçarem visando a retomada do futebol mesmo sem o declínio de casos do novo coronavírus no Brasil. E ainda o que o futebol brasileiro aprendeu após o 7 a 1, em comentário sobre a reprise do título brasileiro na Copa das Confederações de 2013.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.